Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Google compra companhia que desenvolve robôs para as Forças Armadas dos Estados Unidos

Boston Dynamics tem em seu catálogo a Cheetah, um robô quadrúpede capaz de correr mais rápido do que o homem mais veloz do mundo

A fase de aquisições do Google parece não ter hora para acabar. O buscador adquiriu uma nova empresa especializada em robótica, a Boston Dynamics, conhecida por desenvolver robôs que mais parecem ter saído de um filme de ficção científica. Muitos desses aparelhos foram criados em parceria com as Forças Armadas americanas. É o caso, por exemplo, do Big Dog (“cachorro grande”), um robô quadrúpede capaz de subir colinas com solo encharcado, e da Cheetah, o robô-guepardo, capaz de correr mais rápido do que o homem mais veloz do mundo.

Leia também:

Google prefere robôs aos drones da Amazon

Amazon planeja usar drones para entregar mercadorias

A compra faz parte de uma nova estratégia do Google, liderada por Andy Rubin, ex-diretor da operação Android da companhia. A divisão de Rubin adquiriu nos últimos meses outras seis companhias de robótica.

O projeto por trás das compras ainda é secreto e o Google sequer comenta as recentes aquisições. Não se sabe também quanto o buscador desembolsou pela Boston Dynamics.

A sede da empresa de robótica fica em Waltham, Massachusetts. A companhia foi fundada em 1992 e surgiu dentro de uma incubadora do MIT. A Boston Dynamics já trabalhou em parceria com o Exército Americano, com a Marinha, com o Corpo de Fuzileiros Navais e com a Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos Estados Unidos (Darpa).

O site da empresa lista nove diferentes tipos de robôs. Alguns aparelhos são capazes de subir paredes graças a um sistema de micro-garras e outros podem saltar até nove metros de altura. O Cheetah corre a 46 quilômetros por hora e é dono das pernas de robô mais rápidas do mundo, segundo site da companhia.

De acordo com rumores, o objetivo do Google é usar as empresas de robótica para desenvolver soluções corporativas. Tornar a logística de companhias de varejo mais inteligente, por exemplo, pode ser uma das metas do buscador para os próximos anos.