Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Conheça o HitchBOT: o robô mochileiro

Criado por uma equipe de cientistas canadenses que pretende estudar a interação entre humanos e inteligências artificiais, a máquina já viajou pelo Canadá, Alemanha, Holanda e agora pede caronas nos Estados Unidos

Se visse um robô sentado no acostamento de uma estrada, com o dedo levantado pedindo carona, você pararia? Se sim, teria como passageiro o HitchBOT, robô canadense mochileiro que está viajando o mundo desta forma.

Após percorrer 9 600 quilômetros pelo Canadá – foram 26 dias e 19 caronas só em julho de 2014 – o robô foi conhecer a Holanda e “passar férias” na Alemanha. No último dia 17, saiu de Boston com destino a São Francisco, nos Estados Unidos. O HitchBOT fez até uma lista de pontos turísticos que quer conhecer e fotografar.

Leia também:

Robôs e humanos: cada um na sua, para sempre

“A criatividade irá dominar os robôs”

Darpa 2015: competição entre robôs que salvam humanos

Pesquisa robótica – O robô mochileiro foi criado por um time de pesquisadores canadenses especializado em experimentos com inteligências artificiais (IA). De acordo com eles, o HitchBOT é “parte estudo científico, parte arte”.

Seus criadores, artistas e professores de universidades como a McMaster, em Ontário, e Ryerson, em Toronto, têm o objetivo de verificar se os humanos confiam nos robôs e como é a interação entre eles. “Queremos verificar a reação das pessoas quando entregamos tal tecnologia em suas mãos”, disse Frauke Zeller, uma de suas criadoras.

Feito de mecânica simples e barata (até para evitar roubos, segundo os pesquisadores), o HitchBOT tem braços e pernas de espuma, mãos feitas de luvas de jardinagem e pés vestidos com galochas. Internamente o robô conta com um GPS e uma câmera que tira fotos a cada 20 minutos, documentando a viagem. Também é equipado com um software que reconhece a língua falada por quem lhe dá as caronas e processa informações da Wikipedia para ter base para interagir, mesmo que minimamente, com os seres humanos no seu caminho.

HitchBOT não se move, depende da ajuda dos amigos para mexer qualquer parte de seu corpo, e conta com uma bateria para o funcionamento do localizador e da câmera. Por isso há somente uma regra para quem quer dar carona, que ajuda a máquina a se locomover: caso a bateria acabe, é preciso que seja carregada no acendedor de cigarros.

Para saber onde o robô mochileiro está, basta entrar no site criado para isso. Também é possível conferir as histórias e as fotos de viagem.

(Da redação)