Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Cofundador da Microsoft deixará fortuna para caridade

Por Da Redação - 15 jul 2010, 20h41

O empresário Paul Allen, um dos fundadores da Microsoft, revelou nesta quinta-feira que destinará a maior parte de sua fortuna – estimada em 13,5 bilhões de dólares – à caridade quando morrer. Em novembro, Allen havia anunciado que realizava tratamento para combater um linfoma, câncer que se origina no sistema linfático.

“Quero anunciar que meus esforços filantrópicos continuarão após minha morte”, disse Allen, em comunicado à imprensa. “A maior parte de meus bens será deixada para caridade para continuar o trabalho da fundação Paul G. Allen Family e financiar pesquisas sem fins lucrativos”.

Há 20 anos, Allen vem atuando como doadoar para instituições desse tipo, especialmente junto à fundação. Ele já transferiu mais de 1 bilhão de dólares para projetos locais.

Com a decisão, o empresário segue os passos de Bill Gates, outro criador da Microsoft, do megainvestidor Warren Buffett e de William Barron Hilton, filho do magnata de hotéis Conrad Hilton. Os três já afirmaram que doarão seus bens para caridade.

Publicidade

Allen foi apontado como a 37ª pessoa mais rica do mundo, segundo a revista Forbes. Ele ajudou a fundar a Microsoft em 1975, mas se retirou da administração da gigante do software em 1983, quando recebeu o primeiro diagnóstico de câncer.

Publicidade