Clique e assine com até 92% de desconto

A visita do fundador do Facebook incomoda o Orkut

Por Rafael Sbarai 5 ago 2009, 13h11

Mark Zuckerberg, fundador do Facebook, tem 25 anos, e é considerado o jovem mais rico do mundo – com, fortuna estimada em 1,5 bilhão de dólares, segundo a revista Forbes. Ele fez sua primeira visita a São Paulo no início da semana para falar com estudantes e desenvolvedores de aplicativos. Esta sua aparição-relâmpago incomodou um gigante da web brasileira, o Orkut, do Google, rede social mais popular do país.

Dados divulgados pelo Orkut no mês passado, com resultados de uma pesquisa encomendada pelo Google para afirmar a hegemonia no território nacional e para mostrar em números que o mercado do Facebook no país ainda é pequeno, teriam sido antecipados justamente por conta da visita de Zuckerberg ao país. O que foi rebatido pelo Google por meio da assessoria de imprensa: “Em nenhum momento houve estratégia para se antecipar à visita de Mark ao país.”

Segundo levantamento da empresa NetPop Research, que conversou 1.000 pessoas no país, 95% dos entrevistados confirmaram usar o Orkut, enquanto o Facebook conta com 17% do mercado nacional. Estes dados são diferentes dos que constam em relatório de abril, divulgados pela empresa de consultoria Comscore, em que o Facebook é a rede social mais visitada em 11 dos 17 países pesquisados na Europa.

“Cerca de 30% de todos os usuários de internet do mundo estão no Facebook. Aproximadamente 250 milhões de pessoas cadastradas”, diz Debbie Frost, porta-voz da rede social.

Aos 25 anos e um dos homens mais influentes do mundo, Mark Zuckerberg tem uma trajetória meteórica que mais parece um roteiro de filme. Aos doze anos de idade, por exemplo, já programava computadores. Sete anos depois, fundou o Facebook, ferramenta social inventada no seu quarto, enquanto estudava na universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Seu objetivo era apenas reunir amigos na internet e socializá-los com outros alunos da mesma instituição em que estudava. Mas foi além. A rede se espalhou nas escolas de ensino superior dos Estados Unidos e, em pouco tempo, tornou-se popular.

Razões para um sucesso em apenas cinco anos? Mark revela que a preocupação com a privacidade pessoal de cada indivíduo contribui. “Ambientes participativos como o Twitter e o Orkut não se preocupam com a privacidade. No Facebook, isso é imprescindível”, finaliza, deixando clara a diferença de sua ferramenta aos outros dois dos espaços virtuais mais populares no Brasil.

Continua após a publicidade
Publicidade