Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

HPV: um em cada três homens está infectado pelo vírus no mundo

Estudo com dados de 1995 a 2022 mostrou que 21% dos jovens com mais de 15 anos apresentavam infecção por tipos de alto risco ou causadores de câncer

Por Paula Felix Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 5 set 2023, 16h10 - Publicado em 5 set 2023, 15h30

Um novo estudo com base em dados coletados entre 1995 e 2022 apontou que um em cada três homens com mais de 15 anos está infectado com, ao menos, um tipo genital do papilomavírus humano, o HPV, vírus com potencial de causar alguns tipos de câncer. O levantamento, publicado no periódico The Lancet Global Health e divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), mostrou ainda que 21% dos jovens e adultos apresentavam infecção por tipos considerados de alto risco ou causadores de câncer.

Os pesquisadores investigaram a prevalência da infecção genital por HPV na população masculina em geral e constataram que 31% tinham infecção por algum tipo de HPV. No grupo dos tipos considerados mais perigosos, a prevalência foi de um para cada cinco pessoas do sexo masculino. A faixa etária de 25 a 29 anos atingiu o pico de casos, que se estabilizou e teve leve queda nas faixas seguintes.

O estudo apontou que o genótipo mais frequente é o 16, correspondente a 5% dos episódios, seguido do tipo 6 (4%). A prevalência do tipo 16 pode ser considerada um sinal de alerta, pois ele e o tipo 18 estão ligados a quase todos os episódios de câncer cervical, mais conhecido como câncer de colo do útero, mas também podem causar tumores de ânus, vulva, vagina, pênis e orofaringe. O câncer de colo do útero é o terceiro mais frequente entre mulheres no Brasil e, no mundo, mais de 340 mil mortes estão relacionadas a esse tumor por ano.

Em homens, o vírus pode ser assintomático, mas também desencadear o aparecimento de verrugas na região anal e genital, que aumentam a possibilidade de infectar outras pessoas, principalmente durante o ato sexual.

“Este estudo confirma quão disseminada é a infecção por HPV. Devemos continuar a procurar oportunidades para prevenir a infecção e reduzir a incidência de doenças relacionadas com o papilomavírus humano tanto em homens como em mulheres”, disse, em comunicado, Meg Doherty, diretora dos Programas Globais de HIV, Hepatite e Infecções Sexualmente Transmissíveis da OMS.

Continua após a publicidade

Prevenção do HPV

A melhor forma de prevenir infecções pelo HPV é com a vacinação, pois o preservativo não consegue bloquear o contato com as lesões. No Brasil, as doses estão disponíveis gratuitamente nos postos de vacinação para a proteção de meninas de 9 a 14 anos, de meninos de 11 a 14 anos e de pessoas imunossuprimidas, como pacientes transplantados ou em tratamento contra câncer e HIV, de até 45 anos.

Meninos e meninas recebem duas doses com intervalo de seis meses entre elas. Pacientes imunossuprimidos de 9 a 45 anos devem tomar três doses: a segunda com intervalo de dois meses e a terceira após seis meses. A vacina oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é voltada para os tipos 6, 11, 16 e 18, mais frequentes e com potencial de causar tumores.

Para a população feminina, a indicação é realizar periodicamente o exame de Papanicolau, que investiga a presença de células anormais no colo do útero para que seja realizado o tratamento antes do aparecimento do câncer.

Neste ano, chegou ao país uma nova versão do imunizante que oferece 90% de proteção contra nove subtipos de HPV, sendo sete com alto risco para câncer de colo do útero (16, 18, 31, 33, 45, 52 e 58) e dois responsáveis pelas verrugas genitais (6 e 11). A vacina nonavalente está disponível na rede privada.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.