Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Diretor da OMS se reúne com Queiroga e pede atenção à variante delta

Encontro ocorreu em Roma, na Itália, à margem da reunião do G-20 sobre a batalha contra a pandemia e estratégias para lidar com futuras crises sanitárias

Por Alessandro Giannini Atualizado em 6 set 2021, 08h03 - Publicado em 5 set 2021, 14h59

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, se reuniram neste domingo, 5, em Roma, para tratar de vários assuntos relacionados à pandemia no Brasil. O encontro se deu paralelamente à reunião ministerial do G20 sobre a batalha contra a Covid-19 e a busca de estratégias para lidar com futuras crises sanitárias.

Em seu perfil no Twitter, o doutor Tedros disse que conversou com Queiroga sobre o aumento da produção e compartilhamento da vacinas contra a Covid-19 na América Latina. Também entraram na pauta a variante delta, a necessidade de controlar sua transmissão, a condição pós-infecciosa e as doenças crônicas não transmissíveis. Por fim, o chefe da OMS acrescentou que concordaram com a necessidade de apoiar as mulheres nas profissões da saúde.

Até a publicação desta nota, o ministro Queiroga não havia se manifestado nas suas redes sobre o encontro. Na sua publicação mais recente, ele comemorava a marca de 200 milhões de doses de vacinas aplicadas no país. “Em breve, teremos toda nossa população totalmente imunizada. É o gov do presidente Jair Bolsonaro no comando de uma das campanhas de vacinação mais bem-sucedidas do Brasil. Estamos vencendo!”, diz o tuíte.

Mais tarde, Queiroga publicou um agradecimento ao doutor Tedros pelo “encontro produtivo” no Twitter:  “Tive o prazer de compartilhar com você o sucesso do programa brasileiro de vacinação contra a Covid-19 e a expansão de nossa capacidade de produção local!” Na página do ministério na mesma plataforma, uma publicação dizia que a estratégia de vacinação brasileira foi elogiada na reunião:  “O Diretor-Geral, Tedros Adhanom, parabenizou o ministro Queiroga pelos resultados positivos da campanha de vacinação brasileira”.

Segundo o Ministério da Saúde, 134 milhões de pessoas receberam a primeira dose de vacina anti-Covid-19 e mais 66,5 milhões completaram a imunização. No entanto, a vacina não evita que a pessoa se contagie nem que transmita o vírus para outros indivíduos. Mesmo com a imunização, alertam os especialistas, os cuidados individuais, como o uso de máscara, álcool em gel e o distanciamento social, são importantes para evitar o contágio.

O Brasil registra, no total, 20.877.864 casos notificados de Covid-19 desde o início da pandemia e 583.362 mortes. Os dados foram divulgados no sábado pelo Ministério da Saúde, com base em informações disponibilizadas pelas secretarias estaduais de Saúde. O número de pessoas recuperadas da doença chegou a 19.838.912 (95%). De acordo com o balanço, há 455.590 casos em acompanhamento e 3.475 óbitos em investigação.

Continua após a publicidade
Publicidade