Clique e assine a partir de 8,90/mês

Leitor: ‘O Dilema das Redes’, Ricardo Barros e racismo nas empresas

Os assuntos mais comentados da semana

Por Da Redação - Atualizado em 1 out 2020, 13h54 - Publicado em 2 out 2020, 06h00

Assuntos mais comentados

– O Dilema das Redes
– Corrupção (Ricardo Barros)
– Racismo (programa de trainee do Magalu)
– Augusto Aras (Páginas Amarelas)
– Extrema direita na Alemanha

REPORTAGEM DE CAPA

Sim, as redes sociais são um perigo quando se transformam em vício, quando viram plataforma de desinformação, valorizando o ódio, a luxúria, a discriminação. Contudo, se houver um uso sensato, como atalho para espalhar boas ideias e promoção de causas humanitárias, que belo recurso temos em mãos (“O preço dos likes”, 30 de setembro).
Fernanda Lopes
Maringá, PR (via LinkedIn)

O documentário O Dilema das Redes é estarrecedor.
Margo Loureiro
Vila Velha, ES (via Facebook)

Anoto uma contradição, e eu mesmo faço parte dela: o erro é usar as redes sociais para falar do lado negativo das redes sociais.
Matheus Andrade
Guarapuava, PR (via Facebook)

Depois de assistir ao documentário e ler a reportagem de VEJA, faço uma confissão: me arrependo de fazer parte de uma rede social. Ah, se eu pudesse voltar atrás — mas não é como uma carta de papel, que basta rasgar para esquecer o conteúdo.
Noel Serpa
São Paulo, SP (via Facebook)

O problema: uma geração que nasceu e cresceu com todas as ferramentas tecnológicas à disposição, e não sabe usá-las.
Rafael Ferret
Rio de Janeiro, RJ (via Facebook)

A imprensa elegeu as redes sociais como “inimigos da democracia” justamente por elas fazerem o que a mídia não faz: dar voz a todos. Todos os lados. Todas as versões. O bem e o mal, o certo e o errado. Nunca se debateu tanto, sobre tudo, como se debate agora. Se isso não é democracia, não sei o que é.
Victor Augusto
São Paulo, SP (via Facebook)

CORRUPÇÃO

Ricardo Barros é figurinha conhecida, foi vice-líder do governo de FHC, esteve com Lula e Dilma, foi ministro de Temer e agora está com Bolsonaro. Ele não tem orientação política, é um membro puro-sangue do Centrão. O pessoal do Paraná o conhece bem (“É o fim da picada”, 30 de setembro).
Renato Ferreira
Curitiba, PR (via Facebook)

Ué, mas a corrupção não ia acabar?
Jacob Marques
Trairi, CE (via Instagram)

TRAINEES DO MAGALU

Acusam o Magalu de fazer marketing com o programa de inserção de trainees negros (“O caminho da igualdade”, 30 de setembro). Não é. Se há contratações nessa seleção, não me parece ser uma ação de propaganda. O emprego altera o cotidiano das famílias, mexe com a cultura empresarial. São candidatos a vagas de carne e osso, reais. Não são personagens fictícios.
Sérgio Coutinho dos Santos
Maceió, AL (via Facebook)

AUGUSTO ARAS

A Lava-Jato foi usada na campanha de Bolsonaro. Agora, depois de eleito, parece que a operação já não serve mais (“A busca do equilíbrio”, entrevista de Páginas Amarelas, 30 de setembro).
Eliana Oliveira
São Paulo, SP (via Instagram)

Continua após a publicidade

EXTREMA DIREITA NA ALEMANHA

Tudo o que é extremo faz mal, pois gera intolerância, egoísmo e autoritarismo. Seja de direita, seja de esquerda, seja de qualquer outra denominação (“Passado incômodo”, 30 de setembro).
Tamiris Brandino
Guarulhos, SP (via Instagram)

Infelizmente a história não ensinou nada. Só deixou por um tempo as vozes adormecidas. Que triste.
Graciella Cremonini
São Paulo, SP (via Instagram)

DONALD TRUMP

Nas últimas eleições, Trump também estava atrás da democrata Hillary Clinton, que de fato ganhou mais votos, mas perdeu no colégio eleitoral formado por delegados. Difícil o filme não se repetir. Trump provavelmente vencerá novamente (“O candidato sem filtros”, 30 de setembro).
Rogério Marques Santos
São Paulo, SP (via Instagram)

EXÍLIO - O casal em Los Angeles: a defesa de boas causas e a tentativa de viver como os plebeus – Reprodução/Instagram

“Sorte deles! Podem agora levar uma vida mais divertida, longe dos protocolos da realeza.” (“Harry & Meghan, Inc.”, 30 de setembro)
Fernanda Fortes 
Curitiba, PR (via Facebook)

LEITURA

Em casa deu certo. Meu filho ama livros, sonha em ter uma biblioteca. Só em 2020 já leu sessenta obras (“Cultivando a imaginação”, 30 de setembro).
Melissa Santos Oliveira
Barra do Garças, MT (via Facebook)

TECNOLOGIA

Vou imprimir dinheiro, então, como em La Casa de Papel (“Filé a jato”, 30 de setembro).
Layane Matos
São Paulo, SP (via Facebook)

Quero saber se a impressora 3D que imprime carne seria capaz de imprimir arroz.
Jane Chokoukou
São Paulo, SP (via Facebook)

PANTANAL

Água é vida. Tomara que agora chova sem parar (“A esperança virou cinza”, 30 de setembro).
Heitor Bumussa
Americana, SP (via Instagram)

CORREÇÕES:
– O empresário Henrique Constantino não foi preso na Operação Sépsis, em torno da corrupção no FI-FGTS, como consta da nota “No verão passado”, na seção Radar de 18 de setembro. Constantino foi alvo de busca e apreensão, e não chegou a ser detido.

– O advogado Roberto Podval pagou o aluguel de seu imóvel em São Paulo, ao contrário do que informa a nota “A crise é para todos”, na seção Radar de 18 de setembro.

Publicado em VEJA de 7 de outubro de 2020, edição nº 2707

Continua após a publicidade
Publicidade