Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Carta ao Leitor: Jornalismo de excelência

Reflexão a respeito dos fatos e revelações de interesse público sobre os poderes que movimentam a sociedade estão no DNA das reportagens de VEJA

Por Da Redação Atualizado em 4 jun 2024, 15h01 - Publicado em 24 jan 2020, 06h00

O que vem sendo chamado de “era digital” tem um sinônimo incontornável: “era da informação”. Em nenhum outro momento da história humana foi possível saber com tanta facilidade — pela tela do celular, por exemplo — o que está ocorrendo em qualquer ponto do planeta. Ao contrário do que se poderia supor, o fenômeno, creditado, com razão, à internet, não traz apenas benefícios aos meios de comunicação; na verdade, impôs a eles desafios monumentais. O maior é que continuem imprescindíveis para o seu público, diante da avalanche de notícias postas em circulação por um sem-número de agentes e de interesses às vezes inconfessáveis, disso decorrendo a explosão das fake news.

Para enfrentar o novo cenário, VEJA se vale daquilo que a transformou na mais influente revista do país: o jornalismo de excelência nas diversas plataformas que levam sua marca. Reflexão a respeito dos fatos e revelações de interesse público sobre os poderes que movimentam a sociedade (os “furos”, no jargão da imprensa) estão no DNA das reportagens de VEJA, que, em sua natureza interpretativa, abrigam informação e opinião.

É com esse norte que, na presente edição, a revista se debruça sobre um variadíssimo leque de assuntos. No âmbito político, analisa o imbróglio surgido depois que o agora ex-secretário de Cultura Roberto Alvim divulgou um vídeo em que flertava com o nazismo, desencadeando uma crise que ecoou muito além de Brasília. No plano da economia — a face boa de um governo que notadamente comporta luz e trevas —, VEJA mostra como o ministro Paulo Guedes buscou difundir no Fórum de Davos, na Suíça, a ideia de um Brasil aberto aos investimentos estrangeiros. No campo da música, a revista faz uma detida radiografia do sucesso empresarial de Anitta, a prima-dona do funk.

Mas duas reportagens de saúde merecem destaque neste número. A primeira aborda a ameaça do coronavírus que apareceu na Província de Wuhan, na China, e, ao provocar mortes, começou a espalhar pânico em outras regiões. A segunda traz uma ótima notícia: as novas formas de tratamento do câncer estão contribuindo para derrubar a quantidade de óbitos provocados por ele — isso em um nível jamais visto na medicina —, na contramão do estigma representado pela doença. Saúde, a propósito, é tema recorrente em VEJA, que se tornou referência na cobertura do assunto graças à sua apuração atenta dos avanços nessa área. Na era da informação, o conhecimento transmitido com responsabilidade e rigor é um ativo fundamental para o cidadão. Entregar tal tipo de conteúdo regularmente a seus leitores — e representá-los na defesa incondicional da democracia — é a razão de ser da revista.

Publicado em VEJA de 29 de janeiro de 2020, edição nº 2671

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.