Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sérgio Cabral e mulher viram réus na Lava Jato

Ex-governador do Rio é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por receber propina paga pela Andrade Gutierrez em obras do Comperj

O juiz federal Sergio Moro decidiu nesta sexta-feira abrir ação penal contra o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) e a sua mulher, a advogada Adriana Ancelmo, e mais cinco pessoas, tornando-os réus na Operação Lava Jato. O titular da 13ª Vara Federal de Curitiba aceitou denúncia feita pela procuradoria de Curitiba referente a propinas pagas, entre 2007 e 2011, nas obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), da Petrobras. O peemedebista vai responder pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Segundo o despacho de Moro, as vantagens ilícitas somaram 2,7 milhões de reais e foram desembolsadas pela empreiteira Andrade Gutierrez. A denúncia abrange especificamente o contrato de terraplanagem do Comperj firmado no dia 28 de março de 2008. O contrato previa o repasse de 819.800 reais, mas recebeu cinco aditivos que elevaram o valor para 1,17 bilhões de reais.

Os outros cinco acusados são: Carlos Miranda, apontado como o ‘homem da mala’ do ex-governador; o ex-secretário de Governo de Cabral Wilson Carlos Cordeiro da Silva Carvalho e sua mulher, Mônica Araújo Macedo Carvalho; e os executivos da Andrade Gutierrez Clóvis Renato Numa Peixoto Primo e Rogério Nora de Sá.

Sérgio Cabral e Wilson Carlos estão presos em Curitiba, enquanto Carlos Miranda e Adriana Ancelmo estão em custódia no Rio de Janeiro.

O ex-governador e a sua mulher também são réus na Operação Calicute, um braço da Lava Jato no Rio de Janeiro, que apura o pagamento de propinas ao político em diversas obras conduzidas no seu governo, como a reforma do Maracanã, o PAC Favelas e o Arco Metropolitano.

Em sua decisão, Moro considerou que a procuradoria agiu bem em formular uma denúncia para cada esquema identificado. “Apesar da existência de um contexto geral de fatos, a formulação de uma única denúncia, com dezenas de fatos delitivos e acusados, dificultaria a tramitação e julgamento, violando o direito da sociedade e dos acusados à razoável duração do processo”, escreveu o juiz. O magistrado também pontuou que esta ação envolve esquemas investigados na Petrobras — o que está sob jurisdição de Curitiba. Escândalos envolvendo contratos com outras empresas estatais e o governo do Rio de Janeiro tramitam na 7ª Vara da Justiça Federal do Rio.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. SEU TERRORIsta do inferno, tem sorte neste país não ter pena de morte pra crimes hediondos e terrorismo, quantas crianças seu traste vc matou, com seu roubo do dinheiro público, tinha que ir pro colo do capeta, assassino.

    Curtir

  2. Daqui há alguns dias vão estar em liberdade, graças a essa justiça covarde de corruptos

    Curtir

  3. Aloisio Barros

    Daqui a pouco até ladrão de galinha vai virar réu na Lava Jato.

    Curtir

  4. Que casal caro para o Brasil. Imaginem quantos animais dessa natureza não temos nas múltiplas cortes pelo Brasil. Tem que ter uma uma limpeza urgente, senão esses gananciosos nos matam. Só a Dilma tinha 60 empregados pra atende-la, fora o que tirou por fora. Um absurdo!

    Curtir

  5. Ataíde Jorge de Oliveira

    Ca$aL_20
    NaDa cOMO
    ü$ PENTaXXXXX
    GaLLegA & LaLLaU

    Curtir

  6. A casa caiu para os corruptos, bandidos e pilantras do Cabral e companhia

    Curtir

  7. Cabral com Tom Cavalcante de piruca. Kkkkk…

    Curtir