Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

MP denuncia dono do parque Terra Encantada por homicídio

Promotores denunciam também o engenheiro que deu aval técnico ao funcionamento do parque. Em junho de 2010, uma mulher morreu depois de despencar da montanha russa. Perícia constatou que havia emendas de pano e grampos de fixação feitos de arame

“Deixando de observar as regras técnicas de suas profissões, os engenheiros denunciados, ao permitirem o funcionamento do brinquedo em condições impróprias, com negligência e imperícia, na posição de garantidores, concorreram para o resultado lesivo.”

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou, nesta quarta-feira os engenheiros do Parque de Diversões Terra Encantada Marcos Vinícius Gomes dos Santos e Arlen Sandeuscristo Simplício, por homicídio culposo (sem intenção de matar). Eles são acusados de permitirem o funcionamento inadequado da montanha russa que, em junho do ano passado, causou a morte de Heydiara Lima Lemos, de 61 anos.

De acordo com os promotores Márcia Velasco e Alexandre Themístocles, os denunciados expuseram os frequentadores do parque a perigo “direto e iminente.” Na noite de 19 de junho, durante o funcionamento do brinquedo, Heydiara Lemos despencou de uma altura aproximada de sete metros, sofrendo traumatismo do crânio, tórax e abdome, com hemorragia interna e contusão pulmonar, e morreu. A montanha russa era operada por Amanda da Silva de Lima Santos, que sequer era contratada pelo parque.

De acordo com a denúncia, Gomes dos Santos, engenheiro diretor operacional e administrador, foi previamente informado das irregularidades, mas optou por não ter a despesa necessária com as medidas que garantiriam o funcionamento seguro dos brinquedos. O segundo denunciado, que é engenheiro mecânico, deu aval técnico ao funcionamento do parque, sem apontar falhas de manutenção e operação, expondo os usuários a risco de acidente.

A denúncia chama a atenção para o resultado da perícia técnica, que constatou, entre outras barbaridades, folgas entre os bancos e as travas de segurança, grampos de fixação feitos de arame e totalmente enfererujados, além de emendas feitas com pedaços de pano e fita isolante. Também foi apontada a necessidade de três operadores para o funcionamento regular da montanha russa.

Dizem os promotores: “Deixando de observar as regras técnicas de suas profissões, os engenheiros denunciados, ao permitirem o funcionamento do brinquedo em condições impróprias, com negligência e imperícia, na posição de garantidores, concorreram para o resultado lesivo.”

O Terra Encantada foi inaugurado em 1998, com a pretensão de ser uma espécie de Disney brasileira. Com mais de 200 mil metros quadrados, na Barra da Tijuca, recebeu investimentos de 220 milhões de dólares, e contou com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico.