Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Marta nega constrangimento com suplente contra união gay

Antonio Carlos Rodrigues, vereador pelo PR, herdará a vaga dela no Senado

Por Tai Nalon 13 set 2012, 15h59

A nova ministra da Cultura, Marta Suplicy, disse nesta quinta-feira que a opinião do seu suplente no Senado, Antonio Carlos Rodrigues (PR), contra o casamento gay e o aborto “não causa nenhum constrangimento” a ela. “Ele estava na minha coligação partidária, é o meu suplente. Não tenho nada a dizer sobre isso. A grande maioria dos evangélicos não é homofóbica. São pessoas que respeitam a diversidade”, disse a nova ministra, esquecendo que seu suplente afirma ser católico.

Marta tomou posse nesta quinta-feira no Ministério da Cultura, como moeda de troca para que ela aderisse à campanha de Fernando Haddad à prefeitura paulistana. O PR, partido de Rodrigues, no entanto, apóia na eleição municipal o tucano José Serra. “É uma decisão partidária, eu respeito. Espero que ele [Rodrigues] faça uma boa gestão”, disse Marta.

Antonio Carlos Rodrigues licenciou-se da Câmara Municipal de São Paulo e manterá sua campanha à reeleição para o cargo de vereador. Após as eleições, entretanto, ele renovará a licença e assumirá a cadeira no Senado.

Radar: Marta tenta evitar que suplente assuma relatoria de projeto contra homofobia

Ministério – Após a cerimônia de posse, a ministra enumerou algumas de suas prioridades na pasta. Repetiu que conversaria com setores do ministério para tentar pacificar interesses contrariados e afirmou que aumentará a interlocução com o Congresso. “Eu vou me debruçar agora sobre o Vale Cultura. Vamos ver se a gente consegue a aprovação na Câmara. Com a aprovação ontem da PEC da Cultura nós demos um passo gigante”, disse.

Continua após a publicidade
Publicidade