Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Maranhão é pressionado a dar prosseguimento a processo de impeachment contra Temer

Deputado Glauber Braga e parlamentares do PT cobraram que Maranhão indique os deputados que devem formar a comissão especial para discutir suposto crime de responsabilidade do presidente em exercício

O presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), foi pressionado nesta terça-feira a dar prosseguimento à comissão especial para discutir uma ação por crime de responsabilidade ingressada contra o presidente em exercício, Michel Temer, quando ainda era vice de Dilma Rousseff.

Temer é alvo de representação apresentada pelo advogado Mariel Márley Marra. O denunciante aponta que o peemedebista, assim como Dilma, cometeu crime de responsabilidade ao editar decretos de crédito de suplementação sem o aval do Congresso. Os atos foram praticados nos dias 26 de maio e 7 de julho de 2015, enquanto o peemedebista ocupava a função de presidente em exercício.

Em maio, o ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello determinou que a Câmara desse seguimento ao pedido e formasse a comissão para analisar a denúncia. No entanto, a maioria dos partidos não indicou os membros do colegiado, o que impede o início dos trabalhos. Nesta terça, o deputado Glauber Braga (PSOL-RJ), acompanhado por parlamentares do PT, cobrou que Maranhão assumisse a função e indicasse os deputados que devem formar a comissão.

LEIA MAIS:

Substituto de Cunha tem nas mãos impeachment de Temer – e causa preocupação

Dando a entender que não vai se envolver na questão, o presidente interino da Câmara afirmou que já expediu ofícios aos líderes partidários determinando que indiquem os deputados. “Não se trata de inércia desta presidência, mas de falta das indicações a cargo dos partidos políticos e blocos parlamentares, providência sem a qual não há como promover a constituição da comissão em apreço”, disse Maranhão. O deputado pepista esteve com o ex-presidente Lula na última sexta-feira e ficou famoso ao tentar barrar o impeachment de Dilma, o que torna constante o temor de que ele possa dar uma canetada na ação contra Temer.

O deputado Glauber Braga promete recorrer à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para que Maranhão indique os membros da comissão especial, que ainda devem ser eleitos em plenário. Até o momento, apenas o PT, PCdoB, PEN, PDT, Rede, PSOL, PMB e PTdoB designaram deputados para discutir a ação contra Temer.