Clique e assine com 88% de desconto

Lava Jato: PF não consegue terminar de contar propina

Por Da Redação - Atualizado em 10 dez 2018, 11h08 - Publicado em 6 fev 2015, 19h09

Um dia depois de deflagrar a nona fase da Operação Lava Jato, a Polícia Federal ainda não conseguiu terminar de contar a vultosa quantia de dinheiro vivo apreendida – nem mesmo com o auxílio de uma instituição financeira. Nesta sexta-feira, a PF divulgou um balanço no qual revela não ter concluído os autos das apreensões realizadas no Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Santa Catarina. Os agentes da PF usam máquinas contadoras de cédulas para agilizar o processo. São dezenas de resmas de notas de 100 e de 50 reais, além de valores em euro. O dinheiro ficará depositado em uma agência bancária. Eles também encontraram nos endereços onde realizaram buscas 35 obras de arte, 518 relógios de luxo e cinco carros com alto valor de mercado, além de documentos e notas fiscais de empresas suspeitas de operarem esquemas de pagamento de propina e lavagem de dinheiro no petrolão. Na Bahia, a PF encontrou no fundo falso de um armário notas de 50 reais, perfumes importados, relógios de luxo e canetas de colecionador. No Rio de Janeiro, os federais também acharam munição de arma de fogo. (Felipe Frazão, de São Paulo)

Publicidade

Publicidade