Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Gleisi e Lindbergh pedem inclusão de ‘Lula’ no nome parlamentar

Se o pedido for aceito, os novos nomes parlamentares aparecerão no painel eletrônico e serão utilizados para comunicações nas sessões

Por Da Redação - Atualizado em 11 abr 2018, 15h53 - Publicado em 11 abr 2018, 14h19

A presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), senadora Gleisi Hoffmann (PR), encaminhou nesta quarta-feira 11 um pedido ao presidente da Casa, Eunício Oliveira (MDB-CE), para incluir o nome “Lula” em seu nome parlamentar.

Indicada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba desde o último sábado (7), como sua porta-voz, Gleisi publicou em sua conta no Twitter a mensagem “Somos tod@s Lula, Eu sou Lula”, acompanhada do requerimento a Eunício.

Além da presidente da legenda, o líder petista no Senado, Lindbergh Farias (RJ),  tomou a iniciativa de incluir o nome de Lula no seu nome parlamentar. A tendência, segundo Lindbergh, é a de que outros senadores do partido façam o mesmo. Até o momento, contudo, isso não ocorreu. “É a campanha ‘Eu sou Lula’. Lula pediu que todos nós falássemos por ele, que fôssemos um pouco ele”, afirmou.

O ofício para alteração de nome parlamentar entra no sistema do Senado automaticamente e é encaminhado à Presidência da Casa. Eunício, no entanto, ainda não respondeu se aceitará ou não a solicitação. Caso ele aprove, os nomes dos parlamentares mudariam para Gleisi Lula Hoffmann e Lindbergh Lula Farias, que passariam a constar no painel eletrônico, por exemplo, e também seriam usados para comunicações em plenário ou comissões.

Nesta terça-feira 10, mais de vinte deputados do PT na Câmara também pediram ao presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para mudar o nome parlamentar.

Antes de ser preso, Lula afirmou, em palanque no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, que quanto mais tempo ficar preso, “mais Lulas vão nascer neste país e mais gente vai querer brigar neste país”. A iniciativa de mudar os nomes parlamentares começou ontem, entre vereadores da Câmara Municipal de São Paulo.

Publicidade

Fernando Moro Holiday

Quem aproveitou a oportunidade para mudar seu nome parlamentar – e alfinetar os petistas – foi o vereador Fernando Holiday, coordenador nacional do Movimento Brasil Livre (MBL). Holiday encaminhou um requerimento à Câmara Municipal de São Paulo pedindo a inclusão de ‘Moro’ em seu nome parlamentar. ”Os petistas resolveram colocar Lula no nome, então farei uma singela homenagem a Moro”, diz o tuíte do vereador. 

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade