Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Política

Diálogos: Moro achou delação de Palocci sobre Lula ‘difícil de provar’

Mensagens trocadas por procuradores da Lava Jato pelo aplicativo Telegram sugerem que Sergio Moro considerou “difícil de provar” a delação do ex-ministro Antonio Palocci sobre supostos crimes cometidos pelos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. As denúncias em questão foram divulgadas por Moro no dia 1º de outubro de 2018, a seis dias do primeiro turno das eleições presidenciais. Na época, o então juiz foi acusado por partidários do petista Fernando Haddad de querer prejudicar sua candidatura.

Em diálogo obtido pelo site The Intercept e divulgado pelo jornal Folha de S.Paulo nesta segunda-feira 29, o procurador Paulo Roberto Galvão comenta sobre a delação com colegas da força-tarefa da Lava Jato.

“Russo comentou que embora seja difícil provar ele [o depoimento de Palocci] é o único que quebrou a omerta petista”, disse Galvão em 25 de setembro de 2018, tratando Moro pelo apelido usado dentro do grupo e associando os petistas à Omertà, um código de honra da máfia italiana, baseado no voto de silêncio em inquéritos policiais e ações da Justiça. As mensagens são reproduzidas literalmente como foram enviadas no Telegram e publicadas pela Folha de S. Paulo, mantendo eventuais equívocos linguísticos.

Na conversa, outros membros da operação consideram difíceis de serem provadas as denúncias de Palocci. “Não só é difícil provar, como é impossível extrair algo da delação dele”, escreveu a procuradora Laura Tessler. “O melhor é que [Palocci] fala até daquilo que ele acha que pode ser que talvez seja”, declarou o procurador Antônio Carlos Welter.

O depoimento de Palocci foi tomado pela polícia em abril de 2018. Nele, o ex-ministro de governos petistas disse que Lula sabia do recolhimento de propina envolvendo empreiteiras, a Petrobras e partidos políticos. Também afirmou que as campanhas de Dilma Rousseff foram superfaturadas e receberam dinheiro de caixa dois.

Procurados pela Folha de S.Paulo, o Ministério da Justiça e a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba defenderam a validade da delação de Palocci e levantaram dúvidas sobre a autenticidade das mensagens envolvendo procuradores.

Diálogos: Moro achou delação de Palocci sobre Lula ‘difícil de provar’
  • Denúncias foram divulgadas pela Lava Jato pouco antes do primeiro turno das eleições de 2018; procurador comentou no Telegram sobre impressões de Moro

Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Você ainda não tem acesso a esta marca. Escolha uma das ofertas abaixo para assinar

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

MELHOR
OFERTA

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

MELHOR
OFERTA

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)