Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Câmara diz ter assinaturas para CPI mista e aguarda adesão dos senadores

Rubens Bueno, líder do PPS, afirma que há 173 deputados a favor da instauração da investigação

Por Marcela Mattos Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
26 mar 2014, 22h17

Em uma segunda derrota da articulação do Palácio do Planalto, a Câmara dos Deputados alcançou, na noite desta quarta-feira, a quantidade mínima de assinaturas para a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista – que reúne deputados e senadores – para apurar as denúncias contra a Petrobras. Para o colegiado ser instalado, porém, falta a rubrica do Senado, que conseguiu na tarde desta quarta o número mínimo de assinaturas para instaurar a CPI no Senado.

No entanto, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) afirmou que retiraria o pedido de CPI no Senado caso a Câmara alcançasse as assinaturas necessárias para que seja criada uma comissão mista: “Trata-se de uma comissão parlamentar de inquérito exclusiva do Senado Federal, sem prejuízo da comissão mista, que é a prioridade para todos nós”, disse ele.

Os senadores, com o presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) à frente, conseguiram 28 assinaturas – uma a mais que o necessário. No entanto, como correm dois documentos paralelos, a coleta nas duas Casas não garante a criação de uma CPI mista. De antemão, apenas a investigação dos senadores, caso os apoios prometidos sejam confirmados, está garantida.

O anúncio das 173 assinaturas na Câmara – acima do mínimo – foi feito pelo líder do PPS, Rubens Bueno (PR), na tribuna na Casa. O deputado projeta que até a próxima sexta-feira conseguirá colher mais de 200 apoios.

Continua após a publicidade

A CPI poderá ser um duro golpe para a presidente Dilma Rousseff, que terá a gigante estatal exposta à investigação no ano que tentará se reeleger. Apesar de contar com maioria absoluta nas duas Casas do Congresso, enfrentar uma CPI é sempre um risco para o governo dado o poder de quebra de sigilos, convocações e compartilhamento de dados com órgãos de investigação como o Ministério Público e a Polícia Federal.

O pedido de CPI no Senado visa apurar a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, que causou perdas de 1,18 bilhão de dólares à companhia brasileira, conforme revelou VEJA. Além do caso de Pasadena, também deve investigar o indício de pagamento de propina a funcionários da Petrobras pela holandesa SMB Offshore.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.