Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Bolsonaro: Acabei com a Lava Jato porque não tem mais corrupção no governo

Declaração ocorre no mesmo dia em que a operação deflagrou a 76ª fase e que crescem as críticas pela indicação de Kassio Nunes ao STF

Por Eduardo Gonçalves Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 8 out 2020, 13h57 - Publicado em 7 out 2020, 19h40

O presidente Jair Bolsonaro declarou nesta quarta-feira, dia 7, que “acabou” com a Operação Lava Jato porque, segundo ele, “não tem mais corrupção no governo”. “Eu sei que isso não é virtude, é obrigação”, completou, em cerimônia no Palácio do Planalto para anunciar um pacote de ações que simplificam procedimentos de registro de pilotos e aeronaves.

“Eu desconheço lobby para criar dificuldade para vender facilidade. Não existe. É um orgulho dizer para essa nossa imprensa maravilhosa que eu não quero acabar com a Lava Jato. Eu acabei com a Lava Jato, porque não tem mais corrupção no governo”, afirmou ele. “Nós fazemos um governo de peito aberto e quando eu indico qualquer pessoa para qualquer local tendo em vista a quantidade de críticas que ela recebe por grande parte da mídia”, disse o presidente.

A declaração de Bolsonaro ocorre num momento em que ele é criticado por apoiadores da Lava Jato pela indicação do desembargador Kassio Nunes ao Supremo Tribunal Federal (STF) – nome que foi chancelado por integrantes do Centrão, os ministros do STF Gilmar Mendes e Dias Toffoli e parlamentares contrários à Lava Jato.

“Nós fazemos um governo de peito aberto e, quando eu indico qualquer pessoa para qualquer local, eu sei que é boa pessoa, tendo em vista a quantidade de críticas que ela recebe por grande parte da mídia”, comentou Bolsonaro, no evento.

Continua após a publicidade

A fala também foi dita no mesmo dia em que a Lava Jato deflagrou a 76ª fase da Operação, que mira um esquema de corrupção na venda e compra de combustível para navios utilizados pela Petrobras. No endereço de um dos alvos, a Polícia Federal encontrou quase 3 milhões de reais em dinheiro vivo.

O presidente que se elegeu com o apoio de movimentos lavajatistas e até nomeou o ex-juiz Sergio Moro como ministro da Justiça têm se afastado cada vez mais destes grupos nos últimos meses. Na época da campanha em 2018, Bolsonaro chegou a falar em indicar nomes ao Supremo com o mesmo perfil de Moro, que após a saída conturbada do governo virou um adversário político.

Em tese, quem tem o poder de manter ou acabar com a Lava Jato é o procurador-geral da República, Augusto Aras, que foi indicado por Bolsonaro ao posto desprezando a lista tríplice apresentada pela associação de procuradores. Em entrevista à VEJA, Aras afirmou que a “Lava Jato não pode ter dono”. Em setembro, a PGR comandada por ele prorrogou a força-tarefa de Curitiba até 31 de janeiro de 2021. Na mesma época, o procurador Deltan Dallagnol se afastou do cargo de coordenador da equipe de Curitiba e sete procuradores de São Paulo assinaram carta de renúncia aos trabalhos da Operação no estado.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.