Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aécio Neves pediu R$ 15 milhões em 2014, diz Marcelo Odebrecht

Valor citado em depoimento bate com planilha e mensagens do ex-presidente da empresa apreendidas pela Lava Jato que citam repasse de doação a ‘Mineirinho’

Em seu depoimento de quatro horas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta quarta-feira, o delator e ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht relatou que o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, teria lhe pedido R$ 15 milhões no final do primeiro turno da campanha eleitoral de 2014.

O delator depôs na Ação de Investigação Judicial Eleitoral aberta a pedido do próprio PSDB contra a chapa Dilma/Temer. Ele disse que, inicialmente, negou o pedido do tucano afirmando que o valor era muito alto, mas que o senador teria sugerido como “alternativa” que os pagamentos fossem feitos aos seus aliados políticos.

Após ser preso na Lava Jato, contudo, Odebrecht disse ter sido informado que o aporte financeiro acabou não se concretizando. Ainda assim, segundo ele, teria ficado definido no encontro com Aécio que o repasse seria discutido entre Sérgio Neves, que era superintendente da empresa em Minas, e o empresário Oswaldo Borges da Costa, apontado como tesoureiro informal do tucano. Em seu relato, Odebrecht disse que só se recorda de doações oficiais a Aécio.

O valor bate com a planilha e a troca de mensagens de Odebrecht apreendidos pela Lava Jato e que mostram o repasse de R$ 15 milhões do departamento de propina da empreiteira ao apelido “Mineirinho” que, segundo o delator Claudio Melo Filho, ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht, era uma referência a Aécio.

Odebrecht respondeu sobre o tucano quando questionado pela defesa da presidente cassada Dilma Rousseff (PT) – de acordo com os advogados, questionar doações para o PSDB fazia parte da estratégia da petista – Aécio foi o rival dela no segundo turno da eleição presidencial. À Justiça Eleitoral a campanha do senador mineiro registra doações que somam R$ 3,9 milhões da Construtora Odebrecht e R$ 3,9 milhões da Braskem, petroquímica do grupo empresarial. Ao todo, o PSDB recebeu R$ 15 milhões da Odebrecht em doações eleitorais em 2014.

O delator, contudo, não se aprofundou mais sobre o assunto, pois o juiz auxiliar que estava conduzindo a audiência pediu a Odebrecht que se limitasse ao objeto da ação eleitoral.

Além destes R$ 15 milhões, o empreiteiro contou que se encontrou várias vezes com Aécio e que ele sempre pediu dinheiro para campanhas. Em relação aos repasses para a campanha tucana em 2014, o delator disse que se lembrava mais especificamente de três ocasiões – uma doação para o PSDB na época da pré-campanha, uma de cerca de R$ 5 milhões durante a campanha e o pedido no final do primeiro turno de R$ 15 milhões.

Na versão do empreiteiro, o contato da Odebrecht com Aécio para tratar da campanha era mais difuso do que com Dilma e feito com a base das empresas do grupo em Minas Gerais, estado do senador.

‘Mineirinho’

A versão de Marcelo Odebrecht coincide com documentação encontrada pela Lava Jato em Curitiba. No pedido de busca e apreensão da Polícia Federal na 26ª fase da operação, a Xepa, “Mineirinho” é apontado como destinatário de R$ 15 milhões entre 7 de outubro e 23 de dezembro de 2014. As entregas, registradas nas planilhas da secretária Maria Lúcia Tavares, do Setor de Operações Estruturadas – conhecido como o “departamento de propina” da Odebrecht – teriam sido feitas em Belo Horizonte, capital de Minas.

A quantia foi solicitada em 30 de setembro de 2014, na véspera do primeiro turno, por Sérgio Neves, a Maria Lúcia, que fez delação e admitiu operar a “contabilidade paralela” da empresa a mando de seus superiores. O pedido foi intermediado por Fernando Migliaccio, ex-executivo da empreiteira que fazia o contato com Maria Lúcia e que foi preso na Suíça.

Defesa

Em nota, o PSDB admitiu ter recebido R$ 15 milhões da Odebrecht, mas disse que o dinheiro foi doado oficialmente pelo grupo à campanha de Aécio em 2014 e foi registrado na Justiça Eleitoral. “Sobre o conteúdo do depoimento do empresário Marcelo Odebrecht ontem ao TSE, a assessoria esclarece que em nenhum momento Marcelo Odebrecht disse ter feito qualquer contribuição de caixa dois à campanha eleitoral do partido em 2014, o que ficará demonstrado após o fim do sigilo imposto às declarações”, diz a nota do PSDB.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Lazaro Alves

    Marcelo O. comprometeu demais Dilma, Lula e o PT. Mas a Veja só viu crime em pedir dinheiro? Qual o crime? Se ouve muito provavelmente será investigado. Mas o que Marcelo Odebrecht disse sobre Dilma, Lula e o PT á arrasador. Veja não leu?

    Curtir

  2. Lazaro Alves

    Veja não leu o que Marcelo Odebrecht disse sobre Dilma, Lula e o PT. Só viu ilegalidade em um pedido de doações? Capitulou?

    Curtir

  3. Salézio Stahelin

    Sou assinante de veja mais de 30 anos. Se continuar a fazer matérias com outros interesses sem a transparência e a verdade acho que não vale mais continuar assinante.O Diretor de redação tem que vigiar possíveis ideológicos tendenciosos infiltrados .

    Curtir

  4. marcio martins

    toma vergonha na cara e some da politica Aécio . diz que o brasileiro não sabe votar.
    o que esta errado e a justiça e leis ,não coíbem os crimes. lideranças jovens continua a propagar os
    mesmos crimes das lideranças antigas.

    Curtir

  5. A final se ele pediu 15 ,milhões mais não deram pra ele qual é o crime nisso

    Curtir

  6. Valentina De Botas

    O lead dessa matéria é uma das coisas mais desonestas que já vi neste site.

    Curtir

  7. Nao podemos defender bandidos favoritos. Aécio esta envolvido em Furnas, onde sempre mandou. Cadeia nele tambem.

    Curtir

  8. maria cecilia

    Parabéns Moro o “herói” midiatico, Veja , a Globo, o Supremo, o mercado, o PGR terão a oferecer para evitar o caos, como contrapartida à suas responsabilidades nesse desmanche do país?

    Curtir

  9. Luis Fernando Lima Corrêa

    Valentina De Botas sai dai para de querer defender esse bandido cria vergonha nessa tua cara o único que escapa é o #Bolsonaro2018

    Curtir