Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Valdivia briga com ex-companheiro e é chamado de ‘bêbado’

Jogador se desentendeu com Pizarro, com quem jogou na seleção chilena. Beausejour e Pinilla, ambos da Universidad de Chile, também trocam agressões

No clássico em que o Colo Colo venceu a Universidad de Chile por 3 a 1 no último domingo, no Estádio Nacional, em Santiago, pelo Campeonato Chileno, o meia Jorge Valdivia, do time vencedor, se desentendeu com seu ex-companheiro de seleção chilena David Pizarro, atualmente na “La U”, logo no começo da partida. 

O ex-jogador do Palmeiras reclamava de uma marcação do árbitro e colocou a mão no rosto do volante Pizarro, que, segundo captaram as câmeras de transmissão, chamou Valdivia de “bêbado de m...”, complicando ainda mais a situação. Indignado, Valdívia tentou partir para cima do ex-companheiro de Chile, mas foi impedido pelo árbitro, companheiros e adversários.

Segundo informações do diário As, as diferenças entre Valdivia e Pizarro são antigas: ainda em 2005, Pizarro deixou a delegação da seleção, reclamando da “falta de seriedade” do plantel. “Há regras para cumprir… como poderíamos treinar se os jogadores passaram a noite toda fora?”, afirmou Pizarro, anos depois.

Valdivia e outros atletas, como Arturo Vidal, já foram protagonistas de confusões na seleção chilena envolvendo festas e bebidas alcoólicas. Pizarro retornou à seleção e, inclusive, conquistou a Copa América de 2015 ao lado de Valdivia, mas segundo as publicações locais, os dois nunca foram amigos.

No domingo, Valdivia foi um dos destaques da vitória de sua equipe, com duas assistências. Mesmo com a vitória, o Colo Colo é apenas quarto colocado no Campeonato Chileno, com 16 pontos. A Universidad de Chile é segunda, com 21, três atrás da líder Universidad Católica.

Companheiros de clube também brigam

O clássico chileno registrou ainda outra confusão, envolvendo dois atletas da Universidad de Chile e da seleção chilena. O lateral Jean Beausejour foi expulso aos 15 minutos do segundo tempo por discutir e trocar agressões com Mauricio Pinilla (atacante lembrado no Brasil por ter acertado o travessão da seleção brasileira na prorrogação das oitavas de final da Copa do Mundo de 2014).

Os dois atletas precisaram ser separados por colegas de Universidad do Chile, que foram empurrados por Beausejour. Isso rendeu vaias ao lateral, que deixou o estádio antes que o clássico terminasse. O experiente Beausejour se disse envergonhado e se ofereceu a deixar o clube a custo zero.

“Aceito o descontentamento dos torcedores. Sempre colaborei em jogos como este, clássicos são muito importantes, e disse à diretoria que poderíamos revisar meu contrato. Não tenho problemas em sair a custo zero para o clube. Isso me causa uma dor gigante porque amo este clube, mas se for necessário, o farei”, disse o ex-jogador do Grêmio, após treino nesta segunda-feira.