Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Turquia na lista vermelha da Covid gera caos para final da Champions

Decisão entre Manchester City e Chelsea está marcada para o dia 29, em Istambul. Federação britânica tenta transferir duelo para a Inglaterra

Por Da Redação Atualizado em 7 Maio 2021, 14h28 - Publicado em 7 Maio 2021, 14h16

A final da Liga dos Campeões de 2021, entre Chelsea e Manchester City, marcada para o dia 29, pode não ocorrer no estádio Olímpico de Ataturk, em Istambul, capital turca, como era previsto. Nesta sexta-feira, 7, a Turquia foi incluída na chamada lista vermelha da Covid-19 pelo governo britânico, o que dificultaria os planos de ter um número limitados de torcedores das equipes finalistas na decisão e também a preparação da seleção inglesa para a Eurocopa.

Clique aqui e assine PLACAR com preço especial, a partir de 8,90 reais por mês!

Segundo diversos jornais ingleses, como  o Telegraph, a federação inglesa já abriu negociações com a Uefa com o objetivo de transferir a partida para solo britânico. Havia expectativa de que a federação europeia forneceria detalhes sobre a decisão, como a distribuição de até 12.000 ingressos  para as equipes finalistas (são aguardados 25.000 espectadores no total), nesta sexta, mas a inclusão da Turquia entre os países mais afetados pelo novo coronavírus adiou os planos. 

Grant Schapps, secretário de Estado dos Transportes do Reino Unido, disse que é preciso ser cauteloso. “Os torcedores ingleses não devem viajar para a Turquia. A federação inglesa já está discutindo com a Uefa sobre isso e estamos muito abertos para receber a final”, disse o porta-voz do governo. A Turquia foi incluída na lista de países de alto risco, que inclui o Brasil, depois de ultrapassar a média de 20.000 novos casos diários de Covid-19. 

  • “Em última análise, a decisão é da Uefa. Temos um histórico de sucesso em jogos com os espectadores. Falei com o ministro do esporte, estamos muito abertos”, completou Schapps. Com números da pandemia mais controlados que os vizinhos, a Inglaterra já vem realizando testes em shows e eventos esportivos e pretende receber público nas partidas em Wembley da Euro, incluindo a grande decisão, em julho. 

    A preocupação não diz respeito apenas aos torcedores, que, caso viajassem para a Turquia, ao retornar ao Reino Unido seriam obrigados a cumprir quarentena de dez dias em um hotel pré-estabelecido pelo governo ao custo de 1.750 libras (equivalente a 12.000 reais pela cotação atual). A exigência também valeria para os atletas, o que afetaria duramente a preparação da seleção inglesa. Logo que acabar a decisão, nomes como Kyle Walker, Mason Mount e Phil Foden devem se apresentar ao English Team para o início dos treinamentos para a Eurocopa. 

    Segundo o Telegraph, Aston Villa e Tottenham já ofereceram seus estádios para sediar a decisão. Istambul já era aguardada para sediar a decisão da Liga dos Campeões do ano passado, mas devido à pandemia, toda a reta final foi realizada em formato de “bolha”, em Lisboa. A Uefa não se manifestou até o momento sobre os últimos acontecimentos.

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade