Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Setién: ‘Ontem passeava com minhas vacas, hoje sou técnico do Barcelona’

Aos 61 anos, o treinador espanhol ainda não conquistou títulos, mas terá primeira chance no comando de um clube de ponta

Por Danilo Monteiro - 14 jan 2020, 11h58

O técnico Quique Setién foi apresentado pelo Barcelona nesta terça-feira 14, no centro de treinamento do clube, na Catalunha. O substituto de Ernesto Valverde, demitido na última segunda, estava desempregado desde o final da última temporada, quando deixou o Real Betis. O espanhol de 61 anos, inclusive, brincou com a situação ao falar de sua rotina nos últimos dias.

Tabela completa de jogos do Campeonato Espanhol 2019/20

“Quero agradecer a esta instituição por me dar a oportunidade de estar aqui. Nem em meus melhores sonhos poderia imaginar que estaria aqui. Sou uma pessoa muito emotiva e hoje é um dia muito especial para mim. Ontem estava passeando com minhas vacas, hoje sou técnico do Barcelona. O mais importante agora é transmitir aos jogadores meu entusiasmo e vontade”, disse em coletiva.

Setién foi o plano B do Barcelona, que se reuniu no último final de semana com seu ídolo, o ex-meia Xavi Hernández, que comanda o Al-Sadd, do Catar. Com apenas alguns meses de experiência, o espanhol de 39 anos recusou o convite para priorizar seu contrato com sua atual equipe e porque não quer começar um trabalho no meio da temporada.

“Não vou falar sobre Xavi, mas sobre a posição do clube. Cada treinador tem seu plano, sua maneira de trabalhar, mas precisamos pensar no clube e nos projetos para tomar as decisões. Quique (Setién) está aqui porque tem um projeto que gostamos. Temos confiança plena nele e em sua comissão técnica. Respeito a todos os treinadores que falamos, mas, para nós e para o clube, o técnico perfeito é Quique”, declarou Éric Abidal, executivo de futebol do time catalão.

Publicidade

Setién é conhecido por ter uma filosofia de jogo que lembra a de Pep Guardiola, prezando sempre pelo ataque e pressão alta sobre a defesa adversária. Sob comando do Betis, o treinador espanhol impôs a última derrota em casa do Barcelona, em dezembro de 2018, por 4 a 3. Após a partida, ele recebeu uma camisa autografada pelo volante Sergio Busquets. Os times do técnico espanhol costumam jogar um bom futebol, embora ele ainda não tenha conseguido vencer títulos em 17 anos de carreira, mas nunca teve chance de comandar um clube de ponta.

“Nas minhas últimas equipes, somente garanti que meu time jogaria bem. Tanto no Las Palmas, quando no Lugo e no Betis, a equipe jogava um bom futebol. Todos viam que existia uma identidade. O Barcelona joga bem quase sempre, há pouco a melhorar se mantiverem esse nível. Não demorei nem cinco minutos para aceitar a proposta. Jamais pensava que eles viriam atrás de mim. Não tenho um currículo extenso e nem títulos. Apenas havia mostrado que a filosofia do clube me encanta”, contou Setíen.

Publicidade