Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ronaldinho apresenta recurso, mas deve seguir preso por ao menos 5 dias

Segundo fontes judiciais, o ex-craque e seu irmão Assis só devem ser liberados, caso a Justiça paraguaia assim decidir, a partir da próxima terça-feira 17

Por Da Redação - Atualizado em 12 mar 2020, 12h14 - Publicado em 12 mar 2020, 11h58

A defesa de Ronaldinho Gaúcho solicitou novamente a libertação do do ex-craque e de seu irmão e empresário Roberto Assis, junto a um tribunal de apelação nesta quinta-feira, 12. Acusada de entrar no país usando documentos paraguaios falsos, a dupla cumpre prisão preventiva na Agrupação Especializada de Polícia, em Assunção, no Paraguai, desde o último sábado 7.

Os advogados dos irmãos Assis já anunciaram que vão recorrer da decisão do juiz Gustavo Amarilla, que confirmou na última terça-feira a detenção preventiva dos irmãos. Uma nova resposta, no entanto, não deve sair em menos de cinco dias. “Se o recurso for apresentado na quinta-feira, o tribunal de apelação, composto por três juízes, tem três dias para se pronunciar. Somente na terça-feira da próxima semana é esperado que Ronaldinho seja liberado se a câmara assim o decidir”, disseram fontes judiciais à agência AFP.

O jornal paraguaio ABC Color informa nesta quinta que Gerardo Chamorro, advogado dos intermediários que conseguiram os passaportes falsos para Ronaldinho, informou que seus clientes (que não tiveram a identidade revelada) vão “contar tudo” que sabem ao Ministério Público nesta quinta-feira. 

Calor intenso e disputa por ‘contratação’

Enquanto isso, sob o calor incomum para esta época do ano, que varia entre 35 e 40 graus, vão passando os dias de Ronaldinho na prisão, em meio a 25 policiais que foram condenados por diversos crimes além de políticos processados por corrupção e até alguns pertencentes ao crime organizado.

Continua após a publicidade

Na quarta-feira, dia de visitas de familiares, a quantidade habitual de entradas foi bem acima do normal. “Muitos prisioneiros receberam visitantes que nunca haviam ido vê-los antes. Na realidade, eles foram tentar tirar uma foto com Ronaldinho”, disse o especialista em polícia do jornal paraguaio ABC Color, Iván Leguizamón, que disse ter conversado com fontes no estabelecimento.

Ronaldinho também recebeu convites para se juntar a uma das várias equipes que competem no torneio Agrupación de futsal de detentos, onde o troféu é um leitão de 16 quilos. Na disputa por sua ‘contratação’, quem poderá ganhar é o time do “chefe”, o oficial de maior patente no quartel, segundo fontes do grupo policial.

A disputa acontece principalmente entre as equipes “Los Pitufos”, “Los Cumbieros”, “Sport Espada”, “Villarreal” e “Milan”. A cela ‘de luxo’ fica localizada a 45 metros da quadra esportiva, um espaço de 30 metros de comprimento para a prática do futsal.

Ronaldinho teria dito há dois dias: “Se eu não sair (libertado), vou me integrar”, mas depois de seu revés judicial na terça-feira, ele não apareceu mais tão regularmente, segundo testemunhas. “Eles dizem que ele tem um dom extraordinário para agradar as pessoas. Ele responde ao carinho. Ele assina camisetas e distribuiu autógrafos, apesar do estado lógico de depressão em que se encontra”, disse uma das testemunhas.

(com agência AFP)

Continua após a publicidade
Publicidade