Clique e assine a partir de 9,90/mês

Polícia americana divulga boletim da prisão do goleiro Jean

De acordo com documento, jogador deu oito socos na esposa, que se defendeu usando uma prancha de cabelo e preferiu não prestar queixas

Por Luiz Felipe Castro, Alexandre Salvador, Alexandre Senechal - Atualizado em 18 dez 2019, 17h58 - Publicado em 18 dez 2019, 15h26

A delegacia do Condado de Orange, na Flórida, Estados Unidos, divulgou o boletim expedido após a prisão do goleiro Jean, do São Paulo, acusado de agredir sua esposa, Milena Bemfica, na madrugada desta quarta-feira 18. O documento, ao qual VEJA teve acesso, preserva o nome da vítima e bem como outros detalhes, mas revela que ela levou, ao todo, oito socos do atleta durante uma discussão. Apesar do episódio violento, Milena, que chegou a postar nas redes sociais um pedido desesperado de socorro, preferiu não prestar queixa.

O policial que assina o boletim diz ter recebido uma denúncia por volta das 4h35 (horário local) e, ao chegar ao hotel onde o casal estava hospedado, encontrou a vítima bastante machucada. O documento revela que Jean não cooperou com a investigação e teve de ser algemado. Ele também apresentava um ferimento na testa.

Segundo o relato, o casal teve uma discussão durante a madrugada. Milena, então, decidiu levar a filha para a cama. Neste momento, o goleiro a seguiu e desferiu três socos no rosto da esposa. Ela, então, se defendeu com uma prancha de cabelo, cortando a perna de Jean. Ainda segundo o relato, o jogador levou a mulher para o banheiro, onde lhe deu mais três socos.

O jogador ainda passou por exames em um hospital antes de ser detido pela manhã. Por considerar que Milena agiu em legítima defesa, a polícia não apresentou denúncia contra ela. Ainda segundo o documento, o jogador não demonstrou interesse em pedir ajuda ao consulado brasileiro nos Estados Unidos.

Continua após a publicidade
Boletim da prisão do goleiro Jean
Boletim da prisão do goleiro Jean Orange County Governmetn Florida/Divulgação

Leia abaixo a tradução do boletim de prisão:

No dia 18 de dezembro de 2019, aproximadamente às 4h35, eu, o chefe de polícia Edgar Castillo, respondi para XXX em referência à violência doméstica. Encontrei com (TRECHO SUPRIMIDO) e Jean Fernandes. Jean foi indicado como o agressor e preso por violência doméstica.

Minha investigação revelou o seguinte: No dia 18 de dezembro de 2019, aproximadamente às 4h35, eu, o chefe de polícia Edgar Castillo, respondi para (TRECHO SUPRIMIDO) em referência à violência doméstica. Na minha chegada ao local, a segurança do hotel já estava na cena e me direcionou para (TRECHO SUPRIMIDO). Quando cheguei ao homem branco (Jean Fernandes), a mulher branca (TRECHO SUPRIMIDO) veio até a porta. Percebi que o rosto dela estava inchado e ela tinha hematomas abaixo dos dois olhos. Jean também tinha um pequeno ferimento na testa. Como tentei conversar com ambos, Jean não queria cooperar e foi preso algemado para que eu pudesse prosseguir com a investigação. Como Jean estava algemado, eu li para ele os seus direitos antes de questioná-lo sobre o incidente. Jean afirmou o seguinte: (TRECHO SUPRIMIDO).

Nenhuma outra pergunta foi feita. Então eu conversei com (TRECHO SUPRIMIDO), que me contou a história, que escrita sob juramento. Ela e Jean discutiram no quarto e ela tentava acalmar Jean porque (TRECHO SUPRIMIDO). Eles foram para o banheiro para discutir, mas (TRECHO SUPRIMIDO) queria ir para a cama. Quando ela foi para a cama, Jean a seguiu e puxou-a para o chão. Ele então subiu em cima dela e desferiu três socos em seu rosto. Ela contou que pegou a prancha de cabelo bateu em Jean para se defender. A prancha de cabelo quebrou quando Jean foi atingido na cabeça. Eles se levantaram e Jean continuava a ser agressivo com ela. Ela brigou com ela novamente, então ela atirou a prancha de cabelo na perna dele, o que causou um corte. Ela tentou sair do quarto, mas Jean a agarrou pelo cabelo a arrastou para o banheiro, onde desferiu mais cinco socos no rosto. Ela não quis abrir processo por causa do incidente.

Ambos contaram a mesma versão da história. Jean desferiu socos no rosto dela. Fotos das lesões sofridas por (TRECHO SUPRIMIDO) e Jean foram tiradas e enviadas ao banco de dados como evidências. Ela recebeu atenção médica no local do incidente, enquanto Jean foi transportado para o hospital Dr. Phillips para tratar seus ferimentos. Baseado na minha investigação com os depoimentos e observações na cena, entendo que Jean é o agressor principal deste incidente e causou lesões corporais propositais a (TRECHO SUPRIMIDO). As lesões que ele sofreu foram por legítima defesa dela, portanto ela não foi acusada de nenhum crime. Jean foi transportado para o Orange County Jail pelo incidente. Ele não desejou notificar o Consulado brasileiro.

Continua após a publicidade

Entenda o caso

O goleiro Jean foi preso em Orlando, nos Estados Unidos, nesta quarta-feira 18, acusado de agredir a esposa, Milena Bemfica. A ficha do jogador consta no sistema do Departamento de Correções do Condado de Orange, na Flórida. Ele foi fichado às 7h27, pelo horário local (9h27 em Brasília).

Orange County Sheriff Office/Divulgação

Milena Bemfica postou vídeos nos quais aparece com o rosto machucado. Nas filmagens, ela acusa o jogador de tê-la agredido durante as férias. Horas depois, as imagens foram apagadas.

“Eu estou aqui em Orlando e olha o que Jean acabou de fazer comigo. Alguém me ajude. Jean acabou de me bater, gente, socorro”, contou Milena em postagem no Instagram Stories.  “Eu quero justiça, eu quero justiça! Eu estou trancada no banheiro e olhe o que ele está fazendo comigo”, completou. Ao fundo, é possível ouvir o goleiro dizendo: “Vai fazer isso com a sua filha?”

Em seguida, ela divulgou uma conversa que teve com Jean no aplicativo. “Parabéns. Terminou com minha carreira. E suas filhas vão passar fome”, escreveu o jogador, que é pai das crianças. As imagens foram apagadas posteriormente e Milena se limitou a tranquilizar os fãs e dizer que estava bem.

Continua após a publicidade

Procurado pela reportagem para comentar o ocorrido, o diretor de futebol Raí não retornou as ligações e mensagens até o momento. O clube soltou uma nota oficial na qual diz acompanhar o caso. Contratado junto ao Bahia por R$ 6 milhões de reais em 2018, o goleiro de 24 anos chegou a ser afastado pelo clube por indisciplina, após desentendimentos com o então treinador Vagner Mancini, no início do ano.

Abaixo, a nota oficial do São Paulo:

“O São Paulo Futebol Clube informa que acompanha o caso envolvendo o atleta Jean Paulo Fernandes Filho e aguarda apuração dos fatos para definir as medidas cabíveis.

Em seus quase 90 anos de existência, o São Paulo construiu uma história pautada por princípios sólidos de conduta dentro e fora de campo, e não abre mão deles”.

Mulher de Jean, goleiro do São Paulo, relata agressões Reprodução/Miguel Schincariol/Getty Images
Publicidade