Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Lanús chega à final com virada histórica; River reclama do VAR

Equipe perdia por 2 a 0, mas buscou um épico 4 a 2 e chegou à decisão pela primeira vez. Árbitro de vídeo assinalou um pênalti e ignorou outro

Por Da redação - Atualizado em 1 nov 2017, 09h03 - Publicado em 1 nov 2017, 09h02

O argentino Lanús conseguiu uma virada épica sobre o compatriota River Plate na noite desta terça-feira para conseguir a vaga na final da Copa Libertadores pela primeira vez. Depois de perder por 1 a 0 a partida de ida da semifinal no Monumental de Núñez, e ficar atrás por 2 a 0 em La Fortaleza, o time da província de Buenos Aires buscou a vitória por 4 a 2, para delírio de sua pequena e apaixonada torcida. O jogo marcou a “estreia” do árbitro assistente de vídeo (VAR, na sigla em inglês) na competição: o recurso foi decisivo no resultado e enfureceu o River Plate.

Ignacio Scocco e Gonzalo Montiel colocaram o River na frente logo no início da partida, mas o veterano José Sand, duas vez, e Lautaro Acosta viraram para o Lanús. No segundo tempo, um puxão de Montiel em Pasquini foi ignorado pelo colombiano Wilmar Roldán, mas a arbitragem de vídeo, liderada pelo brasileiro Sandro Meira Ricci, alertou para o erro e o pênalti foi marcado. Alejandro Silva, então, garantiu o gol que selou o resultado histórico.

Protestos do River

O River reclama, no entanto, que o VAR só foi utilizado em favor do Lanús. Ainda no primeiro tempo, quando o time tradicional de Buenos Aires vencia por 2 a 0, Ivan Marcone, do Lanús, cortou bola com a mão dentro da área, mas a arbitragem ignorou. Após a partida, o técnico Marcelo Gallardo admitiu que sua equipe falhou ao não sustentar a ampla vantagem, mas deixou clara sua insatisfação com a arbitragem.

“Não sei que explicação (a Conmebol) vai dar agora. Tudo que disseram não serviu para nada, serviu para um time e só. É desanimador, não foi usado para fazer justiça. (…) Prefiro que siga errando um árbitro do que se equivoquem sete”, afirmou Gallardo após a partida. O VAR já estava disponível nas partidas de ida das semifinais, mas não precisou ser usado.

O Lanús enfrentará na final o vencedor do confronto entre Grêmio e Barcelona, do Equador, que se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília). A equipe brasileira tem vantagem cômoda: venceu o jogo de ida por 3 a 0, em Guayaquil. O Lanús fará o segundo jogo da final em casa.

Jogadores do Lanús comemoram após vencerem o River Plate de virada e garantirem vaga para a final da Taça Libertadores da América, em partida realizada em Buenos Aires - 31/10/2017
Jogadores do Lanús comemoram classificação diante do River Plate Stringer/Reuters

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade