Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
CLIQUE E RECEBA A REVISTA EM CASA A PARTIR DE R$14,90/MÊS Clique e receba em casa a partir de R$ 14,90

Gabigol e Flamengo: os números de um casamento perfeito

Em sua terceira temporada pelo clube, atacante aumenta recordes e já supera, em média, a primeira temporada arrebatadora com mais de um gol por partida

Por Guilherme Azevedo Atualizado em 19 jul 2021, 12h47 - Publicado em 19 jul 2021, 12h38

Poucos casamentos recentes no futebol parecem tão ajustados quanto o entre Gabriel Barbosa, 24 anos, e Flamengo. No “relacionamento”, os gols do atacante já ajudaram o clube carioca a vencer três estaduais, dois brasileiros, duas vezes a Supercopa do Brasil, uma Recopa Sul-Americana e a sonhada Libertadores. No último domingo, 18, ao anotar três gols na vitória por 5 a 0 sobre o Bahia, em Pituaçu, Gabigol se transformou no segundo maior artilheiro da história do clube na competição, com 43, ultrapassando Bebeto, autor de 42. O líder ainda é Zico, com 135.

Assine a revista digital no app por apenas R$ 8,90/mês

A atual temporada de Gabriel impressiona por evolução e números expressivos. Segundo o SofaScore, em 17 jogos, o camisa 9 marcou 18 vezes, média superior a um gol por partida. Mais do que isso, o camisa 9 já supera, em média, a temporada arrebatadora de estreia pelo Flamengo, em 2019, quando terminou com 43 gols em 59 jogos. Na ocasião, faturou o tradicional prêmio de Rei da América, do jornal uruguaio El País.

Em 2021, converteu todos os pênaltis que bateu e acertou a direção do gol em 37 das 59 finalizações, um aproveitamento de 62,7% no fundamento. Desse modo, com média alta de gols e grandes atuações em jogos importantes, Gabriel se tornou ídolo da exigente torcida flamenguista e empilha ainda mais recordes e números relevantes com a camisa rubro-negra.

  • Diante do Unión La Calera, em 12 de maio, o atacante se tornou o maior artilheiro da história do clube em Libertadores, com 17 gols, deixando Zico para trás, com 16. Somados mais um gol pelo Santos, em 2018, já ultrapassou Pelé, também.

    Continua após a publicidade

    A jornada no Flamengo é a afirmação definitiva de Gabigol como um jogador letal. Isso, pois, após ser revelado pelo Santos, teve passagens apagadas por Inter de Milão e Benfica, o que causou dúvidas sobre o futuro do atleta. Desde que chegou ao clube do Rio de Janeiro, entrou em campo 119 vezes e marcou 88 gols.  Além disso, segundo o perfil de estatísticas OptaJoao, o Flamengo nunca perdeu uma partida em que Gabigol marcou.

    O maior jogo do atacante pelo time vermelho e preto foi a final da Libertadores de 2019. Na partida emocionante, marcou dois gols nos minutos finais da partida contra o River Plate, em Lima, no Peru, e foi decisivo para a consolidação de uma improvável. Pelo torneio continental, tem média de 0,7 gols por jogo. Foram 24 jogos e 17 gols marcados, oito deles em jogos de mata-mata.

    Gabigol comemorando o gol histórico contra o River, em 2019 -
    Gabigol comemorando o gol histórico contra o River, em 2019 – Delmiro Junior/Photo Premium/Getty Images

    Falta ainda ao jogador, com números que não param de crescer, um passo mais expressivo pela seleção. Na última Copa América jogou cinco partidas, duas delas como titular, e marcou um gol, na vitória por 3 a 0 sobre a Venezuela, na estreia, em 13 de junho. Os números ainda são tímidos: três gols em 12 jogos. “O Gabriel foi substituído, a equipe no primeiro tempo não ajudou, porque ele é um jogador de finalização. Outras oportunidades vão aparecer, ele vai brilhar. No coletivo, um brilha em um dia, em outro dia é outro”, explicou Tite após a vitória por 4 a 0 sobre o Peru, a primeira partida como titular.

    Continua após a publicidade
    Publicidade