Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Derrota alemã entra para a lista das maiores zebras das Copas

Lista dos fracassos inclui derrotas para seleções semi-profissionais e zebras em grupo da morte

A derrota da Alemanha para a Coreia do Sul por 2 a 0, resultado que culminou na precoce eliminação dos alemães, é mais um resultado da lista de fracassos retumbantes na história das Copas do Mundo. Vez ou outra, uma seleção acanhada e limitada derruba um favorito e marca época com a façanha. De 1950 para cá, conheça os sete maiores vexames em Mundiais.

Inglaterra 0 x 1 Estados Unidos – 1950

Era um duelo entre o país que inventou o esporte e um rival que praticava um futebol amador. Por isso, o favoritismo dos ingleses era grande. Quando a bola rolou no Estádio Independência, em Belo Horizonte, porém, nem tudo saiu como o esperado.

Os norte-americanos abriram o placar aos 38 minutos da primeira etapa, gol do atacante Joe Gaetjens. Daí em diante, os azarões seguraram o resultado e derrotaram o badalado English Team. A façanha foi tão grande que virou filme, Duelo de Campeões, lançado em 2005.

Itália 0 x 1 Coreia do Norte – 1966

Àquela época, a Azzurra era bicampeã, enquanto os norte-coreanos disputavam uma Copa pela primeira vez. É verdade que, no pós-guerra, o desempenho dos italianos nas últimas edições não era nada bom – o selecionado europeu foi eliminado na fase de grupos em 1950, 1954 e 1962, e nem se classificou para o Mundial da Suécia, que terminou com o primeiro título mundial do Brasil. Mesmo assim, eram favoritos contra a até então inexpressiva Coreia do Norte. Com a bola rolando, a seleção asiática surpreendeu e venceu por 1 a 0, com gol de Pak Doo-Ik, marcado aos 42 minutos do primeiro tempo.

Após o revés, os norte-coreanos ainda disputaram as quartas de final contra Portugal, do craque Eusébio. Os asiáticos chegaram a abrir 3 a 0, ainda no primeiro tempo, mas sofreram a virada e foram derrotados por 5 a 3. Merecidamente, foram recebidos como heróis na volta ao país. Como consequência do fracasso, os clubes italianos foram proibidos de contratar jogadores estrangeiros, sob a justificativa de que jogadores de outros países atrapalhava o desenvolvimento do futebol nacional.

Alemanha 1 x 2 Argélia – 1982

Na Copa da Espanha, Alemanha, Argélia, Áustria e Chile disputavam duas vagas para o mata-mata. Os germânicos eram apontados como favoritos, enquanto austríacos e chilenos brigariam entre si. À Argélia restou a pecha de saco de pancadas. Porém, com um futebol de velocidade, os africanos marcaram dois gols em contra-ataques e venceram na estreia da Copa.

Os argelinos abriram o placar aos 9 minutos do segundo tempo, com o atacante Madjer. Aos 22, o empate veio com o lendário Rummenigge, que antecipou a zaga adversária. No minuto seguinte, o camisa 10 da seleção da Argélia, Belloumi, deu números finais ao jogo.

Argentina 0 x 1 Camarões – 1990

Os hermanos entraram em campo como favoritos, por serem os atuais campeões. Liderados por Maradona, herói do título de 1986, a seleção argentina foi derrotada na estreia contra Camarões. Os Leões Indomáveis, inclusive, foram melhores que os sul-americanos e venceram a partida por 1 a 0, gol marcado pelo atacante Omam-Biyick, aos 22 minutos do segundo tempo.

Mesmo com a derrota, a albiceleste embalou. Nas oitavas de final, despacharam o Brasil, ao vencer por 1 a 0 o jogo da polêmica da água batizada. Na decisão, foram derrotados pela Alemanha, também por 1 a 0.

França 0 x 1 Senegal – 2002

Mais um jogo no qual o desequilíbrio técnico entre as seleções era considerável. Os franceses, atuais campeões, enfrentavam uma seleção debutante em Copas, os africanos de Senegal, que tinham como capitão Aliou Cissé, atual técnico da seleção.

Logo aos 31 minutos do primeiro tempo, Papa Bouba Diop marcou o primeiro gol daquela Copa. Em um jogo aberto, Trezeguet, da França, e Fadiga, de Senegal, acertaram a trave. O jogo, contudo, acabou 1 a 0, para festa dos estreantes.

Itália 0 x 1 Costa Rica – 2014

Na Copa disputado no Brasil, a Costa Rica caiu num inglório grupo ao lado de Inglaterra, Uruguai e Itália, todos campeões mundiais. Por estar em um grupo da morte, a missão dos costa-riquenhos era extremamente difícil. Mas a façanha do time centro-americano foi proporcional ao seu desafio. Além de vencer o Uruguai por 3 a 1, a grande surpresa do Mundial de 2014 derrotou, também, os italianos, por 1 a 0. Na última rodada, empataram sem gols com os ingleses, que, ao lado da Azzurra, foram eliminados ainda na fase de grupos.

Naquela edição de Copa, o time sensação, liderado por Bryan Ruíz e Keylor Navas, que estão na Rússia nesta Copa, a Costa Rica caiu nas quartas de final, após derrota para a Holanda nos pênaltis. Esta foi a melhor participação dos costarriquenhos na história da competição.

Alemanha 0 x 2 Coreia do Sul

Nesta edição da Copa, a Alemanha era apontada como uma das favoritas. Embalados pelo 7 a 1 em cima do Brasil e pela conquista da última Copa das Confederações, o futebol alemão não deslanchou na Rússia. Na estreia, perderam para o México, por 1 a 0. Na segunda partida, viraram o jogo contra a Suécia na bacia das almas, com um gol de Kroos nos últimos instantes.

Contra os sul-coreanos, nesta quarta-feira, 27, dependiam de suas próprias forças para avançar às oitavas de final e, quem sabe, colocar-se na rota do Brasil na próxima fase. Em mais uma atuação ruim, os alemães sucumbiram às expectativas e foram derrotados por 2 a 0. Os gols sul-coreanos foram marcados pelo zagueiro Kim Young-Gwon, aos 47 da etapa complementar, e pelo destaque da equipe, Son Heung-Min, do Tottenham, aos 50 minutos. Com o resultado, os alemães despediram-se da Copa na lanterna do grupo — Suécia e México passaram de fase.