Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Caso Daniel: polícia prende 7º suspeito de ligação com morte de jogador

Eduardo Purkote foi acusado de quebrar o celular do jogador e de ter participado do espancamento

Por Da Redação 15 nov 2018, 13h15

A Polícia Civil de São José dos Pinhais (PR) prendeu na manhã desta quinta-feira o sétimo suspeito de participar do assassinato de Daniel Corrêa, ex-jogador do São Paulo. Eduardo Purkote Chiuratto, de 18 anos, foi citado em depoimentos de testemunhas, que o acusaram de ter quebrado o celular de Daniel, pegado a faca utilizada no assassinato e participado do espancamento do jogador de 24 anos.

Eduardo Purkote é amigo de Allana Brittes, filha do autor confesso do assassinato, o empresário Edison Brittes. Segundo informações da Rádio Banda B, de Curitiba, o suspeito foi preso por volta das 6h da manhã (de Brasília), em sua casa, em um condomínio de luxo, em São José dos Pinhais. Ele irá depor na próxima segunda-feira.

Com a prisão de Purkote, a polícia já tem sete suspeitos detidos: o autor confesso Edison Brittes, sua esposa Cristiana Brittes, a filha Allana Brittes – acusados de homicídio qualificado e coação de testemunhas -,  Igor King, David Vollero e Eduardo da Silva – que ajudaram no espancamento e estavam no carro de Edison no momento do assassinato.

  • Daniel Corrêa, de 24 anos, foi encontrado no último dia 27 em um matagal de São José dos Pinhais, no Paraná, com o pescoço cortado e o pênis decepado. Dias depois, o empresário Edison Brittes, de 38 anos, se apresentou à polícia e assumiu a autoria do crime, afirmando que flagrou Daniel tentando estuprar sua esposa, mas o delegado Amadeu Trevisan, responsável pelo caso, já descartou a versão contada pelo empresário.

    Continua após a publicidade
    Publicidade