Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Campanha com Dorival Jr. alerta para a prevenção do câncer de próstata

Seus sintomas só costumam aparecer quando ele está em estágio avançado, por isso diagnóstico precoce, tratamento e acompanhamento contínuo são essenciais

Por Abril Branded Content Atualizado em 20 nov 2020, 13h31 - Publicado em 23 nov 2020, 10h00

Esse é o segundo tipo mais comum de tumor em homens no mundo, ficando atrás apenas do de pulmão (com exceção do câncer de pele não melanoma – normalmente excluído da lista porque é altamente curável). Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer, o Inca, no Brasil ele é o mais incidente, correspondendo a 29% dos casos, responsável por 15 391 óbitos apenas em 2017 e, segundo estimativas, contabilizará 65 840 novas ocorrências por ano entre 2020 e 2022.

A próstata é uma glândula localizada abaixo da bexiga que tem a missão de produzir um fluido que protege e nutre os espermatozoides. A uretra, canal que transporta a urina e o sêmen para fora do corpo, atravessa o centro da próstata, por isso os principais sinais da presença dessa enfermidade são ligados a dificuldade e desejo frequente de urinar, jato de urina fraco ou até mesmo disfunção erétil em casos mais graves. “No entanto, esse tipo de tumor costuma ter um crescimento mais lento, o que faz com que ele demore para comprimir a uretra e, por isso, os sintomas só aparecem quando o quadro já está mais evoluído”, conta Rafael Coelho, urologista, coordenador médico da Clínica Urológica do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP/FMUSP) e chefe do grupo de câncer de próstata da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Isso dificulta o tratamento, que em grande parte dos casos envolve radioterapia, hormonioterapia e/ou cirurgia. É por isso que a realização de exames preventivos que permitem a detecção precoce do câncer de próstata é imprescindível. Eles devem ser feitos anualmente após os 50 anos ou a partir dos 45 para aqueles que apresentam fatores de risco, como histórico familiar de câncer, tabagismo e obesidade, por exemplo. “Mudanças de hábitos, como prática de atividades físicas, adoção de uma alimentação saudável, redução no consumo de bebidas alcoólicas e abandono do fumo, também são bem-vindas para reduzir as chances de a doença se desenvolver”, acrescenta Coelho. 

E, para aumentar a conscientização do público masculino, ressaltando a importância do diagnóstico e tratamento da doença, a Janssen, empresa farmacêutica da Johnson & Johnson, lançou neste Novembro Azul a campanha #ASuaVidaValeTudo. Um dos objetivos da iniciativa é chamar a atenção para a importância do acompanhamento contínuo da doença, já que muitos abandonam o monitoramento após superar as etapas iniciais do tratamento, o que, de acordo com o Ministério da Saúde, aumenta a probabilidade de acontecerem recaídas. O embaixador da campanha é um craque dentro e fora dos campos: Dorival Júnior, treinador e ex-jogador de futebol que, além de ter uma carreira de sucesso nos principais clubes do país, venceu o câncer de próstata em 2019 graças ao diagnóstico precoce. Ele convoca o time de homens para entrar em campo contra o câncer de próstata por meio de conteúdos exclusivos nos perfis do Instagram @dorivaljroficial e @janssen_brasil, do Facebook (@janssenbr) e do LinkedIn (@Janssen-Brasil).

A campanha conta também com um site (www.janssen.com/brasil/blog/asuavidavaletudo) em que são encontradas mais informações sobre o assunto e uma cartilha informativa que pode ser compartilhada para reforçar a conscientização sobre o tema.

 

Continua após a publicidade
Publicidade