Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Abner: ‘Vim para ser o sucessor de Marcelo no Real Madrid’

Prestes a ser emprestado para ganhar mais experiência na Europa, jovem lateral paranaense revelou seu desejo de repetir o sucesso do compatriota no Real

Nascido em Londrina, no Paraná, Abner Felipe Souza de Almeida, 21 anos, é uma promessa para uma posição com poucas peças de destaque pelo mundo: lateral-esquerdo. Ele tem como inspiração seu companheiro Marcelo, titular do Real Madrid e da seleção brasileira. Jogador no time B, o Real Madrid Castilla, na terceira divisão espanhola, Abner vai ser emprestado nesta temporada para ganhar experiência e se tornar “o novo Marcelo”.

Abner fez 24 jogos pelo Castilla, 21 na temporada 2016/2017, e tem bom relacionamento com Zinedine Zidane, treinador do time principal e ex-técnico do time B. Sem muito espaço na equipe principal, que tem o titular da seleção brasileira e o francês Theo Hernández como primeiras opções, Abner falou de suas contusões e do sonho de ser o sucessor de Marcelo.

Como foi o começo de sua carreira, até a chegada ao Real Madrid? Joguei no PSTC, um clube formador, e com 14 anos fui para o Coritiba disputar a Copa Votorantim. Fiquei três anos lá e com 18 anos vim para o Real Madrid, em 2014. No Coritiba, treinava com o profissional e jogava com o sub-17. Fiz só um jogo pelo time principal, no Campeonato Brasileiro de 2013, contra o Goiás.

Você já sofreu uma série de lesões… A primeira foi na seleção brasileira sub-20, disputando o Mundial nos Emirados Árabes Unidos (2013). Voltei ao Coritiba e fui vendido ao Real Madrid. Comecei bem, mas me machuquei novamente. Voltei e treinei com o time profissional, com o técnico Rafa Benítez (2015/2016), mas tive outra lesão.

Com tantas lesões pensou em parar? Quem o ajudou a superar essa fase? Pensei muito sim. Após a segunda lesão, senti como era ruim a recuperação, e não queria passar por isso de novo. Pensei em abandonar a carreira. No vestiário, após mais uma lesão, o Zidane me disse que eu era muito jovem e deveria pensar nisso.

Você conversou com Zidane para definir seu futuro nesta temporada? Sim. Queria saber se seria bom ser emprestado. Ele foi sincero e disse que seria uma opção muito boa, para ganhar experiência e voltar melhor.

E qual será seu destino na temporada? Tenho propostas de alguns clubes da Europa, mas o Real e eu preferimos um espanhol, para ficar mais próximo. Existe uma proposta de um time da segunda divisão.

Quem mora com você e quem são seus amigos na Espanha? Moro com minha mãe, Altina Aparecida de Souza, e meus melhores amigos são  Victor Campuzano, do Castilla, e o Renato Costa, que foi meu motorista antes de eu tirar a habilitação. Ele tem um supermercado brasileiro em que minha mãe fazia compras, porque eu estranhava muito a comida.

Como se diverte? Saio pouco. Gosto de ouvir pagode e sertanejo, mas ouço mais em casa, ou nas feijoadas na casa do Renato.

E a família em Londrina? Tenho um irmão e duas irmãs mais novos em Londrina. E também minha namorada, Julia Rodrigues. Converso todo dia com ela e quando dá jeito ela vem para cá.

Por que surgem poucos laterais de destaque no mundo? Qual a sua principal característica? A posição exige um pouco mais de físico, porque temos de atacar e defender. Sou mais forte atacando do que defendendo. Na Espanha, estou aprendendo mais a parte defensiva e sinto que melhorei muito, porque o esquema tático exige.

Qual é sua pretensão no Real Madrid? Fui contratado para ser o sucessor do Marcelo e se meu joelho permitir e eu puder me desenvolver, quero repetir o sucesso dele.