Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Publicidade

Notícias sobre Marco Maia

Marco Maia quer ressuscitar a política de preços adotada por Dilma para apressar a falência da Petrobras
Propostas fazem parte de uma centena de iniciativas parlamentares que apontam injustiça nas atuais alíquotas cobradas
Marco Maia explica por que defende a candidatura de Lula à Presidência
Deputado gaúcho se junta a Gleisi, Dirceu e Lindbergh ao ameaçar a Justiça com a Revolta das Formigas
Joice Hasselmann, direto de Brasília, conta em detalhes os bastidores da última sessão no Congresso Nacional e afirma que a oposição já se articula para montar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá fazer uma devassa nas contas do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, o BNDES. Os dados do órgão, considerado uma caixa-preta, podem revelar detalhes sórdidos de desvio de dinheiro público.
Por Gabriel Castro, na VEJA.com: A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Petrobras encerrou seus trabalhos nesta quinta-feira com a aprovação do relatório elaborado pelo deputado Marco Maia (PT-RS). O texto, que pede o indiciamento de 52 pessoas, mas poupa a presidência da estatal e o Palácio do Planalto, teve dezenove votos favoráveis e oito contrários. […]
O relator da CPI da Petrobras, deputado Marco Maia (PT-RS), repetiu nesta quinta-feira sua opinião de que a diretoria da Petrobras deve ser substituída. Apesar de não mencionar o nome da presidente Graça Foster, ele foi claro: “Precisamos de alguém de fora da Petrobras, alguém que venha do mercado”, disse, reafirmando o que havia dito […]
Geraldo Samor, de VEJA Mercados, diz que Dilma considera o nome do respeitado executivo Nildemar Secches, que reestruturou a Perdigão, à frente da Petrobras. O colunista Lauro Jardim fala sobre a mudança de posição do deputado Marco Maia (PT-RS) que subitamente alterou seu relatório da CPMI da Petrobras, pedindo o indiciamento de 52 pessoas, incluindo Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef. A reportagem traz também a última sessão da Câmara que teve pacotão de Natal com salário mais gordo para parlamentares, ministros e presidente, a disputa pela presidência da Câmara com a candidatura do petista Arlindo Chinaglia e do socialista Julio Delgado, a decisão do TSE de liberar Maluf para seu mandato em 2015 e a reaproximação entre EUA e Cuba.
Publicidade