Clique e assine com 88% de desconto

Ucrânia prende soldados russos que entraram ‘por acidente’ no país

Dez militares do Exercito russo foram rendidos e estão detidos na Ucrânia. Os números de identificação dos veículos que eles usavam estavam apagados

Por Da Redação - 26 ago 2014, 07h50

Um porta-voz do ministério da Defesa russa confirmou nesta terça-feira a detenção de soldados do país em território ucraniano, como anunciou Kiev, mas afirmou que os militares atravessaram a fronteira “por acidente”, reporta a rede britânica BBC. “Os militares participavam em patrulhas na fronteira Rússia-Ucrânia e a atravessaram, talvez por acidente, em uma área sem demarcação”, disse o porta-voz.

Segundo as forças de segurança ucranianas, dez soldados paraquedistas foram detidos em Dzerkalne, a 20 km da fronteira e a 50 km do reduto separatista pró-Rússia de Donetsk, no leste da Ucrânia. De acordo com Kiev, os detidos são soldados do 331º regimento da 98ª divisão aerotransportada, com base na Rússia central. Os soldados, detidos com documentos de identidade e armas, afirmaram que foram enviados à região russa de Rostov, perto da fronteira com as regiões ucranianas rebeldes de Donetsk e Lugansk.

Leia também

Presidente ucraniano dissolve o Parlamento e convoca eleições antecipadas

Publicidade

Rússia quer enviar novo comboio de ajuda humanitária à Ucrânia

Merkel ameaça Moscou com mais sanções; caminhões russos deixam Ucrânia

Rússia desloca artilharia para a Ucrânia, afirma Otan

Segundo Smirnov, ele e seus companheiros deixaram o blindado quando as forças ucranianas abriram fogo contra a coluna. A imprensa ucraniana também divulgou vídeos de interrogatórios de outros dos dez soldados russos capturados.

Publicidade

O porta-voz russo indicou que os soldados não resistiram à detenção e afirmou que militares ucranianos atravessaram a fronteira com a Rússia em várias ocasiões. “Mais de 500 soldados ucranianos, armados e a bordo de blindados, cruzaram recentemente a fronteira da Rússia e nunca fizemos um escândalo por isso; simplesmente os devolvemos ao território da Ucrânia em um lugar seguro”, disse. Kiev acusa regularmente Moscou de enviar militares e blindados aos separatistas, de atirar contra seu território e de fornecer armas aos rebeldes pró-Rússia. Moscou nega as acusações.

(Com agência France-Presse)

Publicidade