Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Suposto assassino de Toulouse morreu com tiro na cabeça

Por Pascal Pavani 22 mar 2012, 11h17

As forças de elite da polícia francesa que invadiram o apartamento do suposto assassino de Toulouse o mataram com um tiro na cabeça quando estavam em posição de “legítima defesa”, afirmou o procurador de Paris.

A unidade de elite da polícia (Raid) havia recebido ordens de “fazer todo o possível para deter Mohamed Merah vivo e atirar apenas em caso de legítima defesa”, disse o procurador François Molinset, antes de afirmar que foi “justamente por este motivo que a operação demorou tanto, para perigo da Raid, que teve cinco integrates feridos”.

O procurador também informou que Mareh filmou os três atentados dos dias 11, 15 e 19 de marços, nos quais matou sete pessoas.

A polícia encontrou em um bolso a câmera utilizada por Merah e está analisando as imagens.

Molins é o principal magistrado antiterror da França encarregado de investigar o assassinato de três soldados franceses e três crianças e um professor judeus.

Continua após a publicidade

Publicidade