Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presos palestinos assinam acordo para suspender greve de fome

Mais de 1.000 presos palestinos chegaram a um acordo com Israel para por fim a sua greve de fome, uma vez alcançadas várias de suas reivindicações, informaram fontes israelenses e palestinas nesta segunda-feira.

“Todos os grupos palestinos assinaram um acordo para por fim à greve de fome”, disse Qadura Fares, responsável do chamado Clube de prisioneiros palestinos.

Em um comunicado, uma porta-voz dos serviços penitenciários israelenses confirmou esta notícia. “Este acordo foi concluído após os contatos dos últimos dias”, expressou.

Fontes palestinas adiantaram durante o dia que as negociações entre os representantes dos presos e as autoridades israelenses conquistaram um princípio de acordo que era examinado pelas partes.

Entre um terço e cerca da metade dos quase 4.700 detidos palestinos de Israel (incluindo mais de 310 em prisão administrativa) estavam em greve de fome, sete deles há mais de um mês e meio, segundo a administração penitenciária, fontes palestinas e organizações humanitárias.

Os presos exigiam a abolição do isolamento carcerário e da prisão administrativa, que permite a prisão sem acusação formal nem julgamento por períodos de seis meses renováveis indefinidamente, e pediam que fossem autorizadas as visitas para os prisioneiros originários de Gaza.