Clique e assine com 88% de desconto

Partidário de Laurent Gbagbo pedem fim da violência na Costa do Marfim

Ex-presidente foi preso na última segunda-feira. Acuados, acólitos de Gagbo tentam trégua

Por Da Redação - 17 abr 2011, 10h08

O partido do ex-presidente marfinense Laurent Gbagbo convocou neste sábado, em Abidjam, seus partidários a “pararem a guerra e a escalada de violência”, e apoiou a “reconciliação”, após a prisão de Gbagbo na última segunda-feira (11).

“Em muitos lugares, alguns de nossos compatriotas seguem se enfrentando, especialmente em Yopugon (bairro pró-Gbagbo a oeste de Abdijam), por rejeitar a lei de armas”, declarou o presidente da Frente Popular Marfinense (FPI, em francês), Pascal Affi N’Guessan, acompanhado pelo ex-ministro das Relações Exteriores de Gbagbo, Alcide Djédjé.

“Devemos deter a escalada da violência e da decadência”, afirmou em uma declaração feita no hotel onde se encontra refugiado junto a outras autoridades do antigo regime, protegidas pelas Forças Republicanas (FRCI) do novo presidente Alassane Ouattara e da ONU.

“Em nome da paz, paremos com a guerra, ponhamos fim a toda forma de beligerância e de confronto”, continuou Affi, convocando a libertação das pessoas detidas, entre elas Gbagbo, para favorecer “a reconciliação nacional”.

Publicidade

(Com Agência France Presse)

Publicidade