Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Parte dos imigrantes na fronteira dos EUA deve ficar no México

Diante do forte esquema de segurança montado pelo governo americano, os imigrantes pensam em se estabelecer no México ou esperar para atravessar a fronteira

Por Agência Brasil Atualizado em 30 jul 2020, 20h03 - Publicado em 18 nov 2018, 10h11

Os cerca de 5 mil homens, mulheres, adolescentes e crianças da caravana de imigrantes que entrou no México, no último dia 19, parou na cidade de Tijuana, na fronteira com os Estados Unidos. A expectativa do grupo é se reunir entre hoje (18) e amanhã (19) com os parentes e amigos que já estavam na cidade para definir o que fazer. O grupo vai decidir se permanece no México ou insiste em seguir para os Estados Unidos, onde o governo impôs severas regras para o ingresso no país.

A informação é atribuída a dados levantados pelas autoridades locais.

A maior concentração de centro-americanos, na sua maioria hondurenha, está no albergue que se instalou no ginásio Benito Juárez na região norte desta cidade, onde as autoridades registraram 2.397 pessoas

Os imigrantes disseram que esperam a chegada de outras mil pessoas, que chegariam a qualquer momento, e que há outras 1.500 que estão na cidade de Mexicali com possibilidades de chegar no domingo ou na segunda-feira.

Os centro-americanos passaram da euforia, por causa da sua chegada à fronteira do México com os EUA, à reflexão, já que viram o esquema de segurança que há por trás da cerca fronteiriça com agentes americanos.

Os imigrantes em Tijuana esperam a chegada de todos seus companheiros para tomar uma decisão, embora muitos já tenham analisado a possibilidade de ficar no México para regularizar sua situação migratória e trabalhar, e outros pensam esperar semanas ou meses, enquanto trabalham neste país, para tentar atravessar para os EUA em outra ocasião.

Continua após a publicidade
Publicidade