Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Para Bill Clinton, crise na Síria lembra guerra na Bósnia

Em entrevista à CNN, ex-presidente disse que há semelhanças entre conflitos

Por Da Redação
1 jun 2012, 04h26

O ex-presidente americano Bill Clinton declarou nesta quinta-feira que o agravamento da crise na Síria se assemelha em alguns aspectos à Guerra da Bósnia no início da década de 1990. Segundo o político democrata, que enfrentou o conflito nos Balcãs quando ocupava a Presidência dos EUA, alguma maneira precisa ser encontrada para acabar com a violência no país islâmico.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

As declarações de Clinton foram feiras durante uma entrevista à rede americana CNN. Ele afirmou simpatizar o presidente Barack Obama, cuja administração tem resistido a intervir militarmente na Síria sem o aval das Nações Unidas, apesar do derramamento de sangue na república árabe já durar mais de um ano desde o início dos protestos contra o ditador Bashar Assad.

Para Clinton, o mundo “viria correndo ajudar a Síria” se Assad deixasse o poder, mas é “muito difícil” para os Estados Unidos agirem sozinhos. “Temos que respeitar as limitações que estão agora ao presidente e nosso governo”, disse o ex-presidente.

Continua após a publicidade

“Estamos nass situação na Síria onde eu estava com a Bósnia em 1993 e 1994. Demorou dois anos (para o conflito acabar)”, disse Clinton, acrescentando que ele estava determinado a intervir na ex-república iugoslávia, mas não podia fazer isso sozinho. Segundo Clinton, outros países europeus precisavam primeiro ser “persuadidos a apoiar” a posição dos EUA.

Histórico – Iniciada após o esfacelamento da antiga Iugoslávia, a Guerra da Bósnia foi provocada por conflitos nacionalistas, étnicos e religiosos entre diversas nações que integravam a república iugoslava e deixou cerca de 100.000 mortos entre 1992 e 1995.

Na atual crise da Síria, forças do regime do ditador Bashar Assad e combatentes da oposição se enfrentam pelo controle de regiões do país, tendo como pano de fundo manifestações pró-democracia iniciadas em março do ano passado, na onda da Primavera Árabe. Segundo o último levantamento da ONU, mais de 9.400 pessoas já morreram no conflito.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.