Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mulher de ministro israelense faz piada – sem graça – com Obama

Judy Shalom Nir Mozes, que é casada com o ministro do Interior israelense, fez uma piada de mau gosto no Twitter. Após ser muito criticada, ela apagou e pediu desculpas

A mulher de Silvan Shalom, Ministro do Interior de Israel, provocou indignação neste domingo por postar uma piada racista sobre o presidente Barack Obama no Twitter. Judy Shalom Nir Mozes tuitou: “Você sabe como é o café Obama? Preto e fraco”. Logo após receber diversas críticas sobre a infeliz declaração, Judy deletou o tuíte. O post desencadeou uma onda de indignação pública e logo pessoas do mundo inteiro estavam comentando o ocorrido nas redes sociais. Os comentários incluíam mensagens como “Você enlouqueceu?” e “É melhor você apagar isso … assustadoramente racista”.

LEIA TAMBÉM:

Nova nota de 10 dólares vira meme nas redes sociais

De ‘Titanic’ a ‘Game of Thrones’: foto de Merkel e Obama vira meme

Judy, que é apresentadora de TV, ainda postou duas mensagens se desculpando pela declaração. “Presidente Obama, eu não deveria ter escrito a piada inapropriada que ouvi. Eu gosto das pessoas independente de sua raça ou religião”. Em outro tuíte, Judy faz piada e brinca sobre o que seu marido irá pensar quando voltar de viagem. “Desculpe se ofendi alguém de alguma forma. Espero continuar casada quando meu marido ouvir o que eu fiz”.

Post com piada racista foi apagado imediatamente por Judy Mozes Post com piada racista foi apagado imediatamente por Judy Mozes

Post com piada racista foi apagado imediatamente por Judy Mozes (/)

Reincidente – Não é a primeira vez que os comentários de Judy nas redes sociais causam embaraço. Em 2012, ela foi nomeada para representar o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em Israel, e foi convidada a participar de uma reunião com embaixadores, celebridades como David Beckham e Sarah Jessica Parker, e até o duque e duquesa de Cambridge, William e Kate.

Mas de acordo com o jornal The Jerusalem Post, ela renunciou o cargo após a repercussão de mensagens no Facebook. Ao defender o bombardeio de Gaza, segundo o jornal, Judy se referiu aos palestinos como “pessoas que alimentam seus filhos com ódio em relação a Israel, que têm em seus DNAs o ódio a nós”.

(Da redação)