Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mortos em tumulto em templo indiano chegam a 115

Rumores de que ponte poderia desabar provocaram confusão, diz polícia

Atualizado às 3h20

Subiu para 115 o número de mortos em um tumulto ocorrido neste domingo em uma ponte em frente a um templo hindu na região de Datia, no estado de Madhya Pradesh, centro da Índia. Além disso, 133 pessoas ficaram feridas O balanço anterior era de 91 mortos e de uma centena de feridos.

D.K. Arya, um funcionário do alto escalão da polícia, indicou que a confusão foi provocada por rumores de que a ponte poderia desabar depois de ter sido atingida por um veículo pesado. “Teme-se que muitas pessoas tenham caído no rio”, acrescentou o funcionário.

Uma estimativa aponta que mais de 50 000 pessoas estavam no local no momento do acidente. Os hindus celebravam o fim do festival Navaratri, dedicado ao culto do deus hindu Durga, que atrai milhares de fiéis aos templos, especialmente no norte da Índia. Outras fontes policiais indicaram que 20 000 pessoas estavam na ponte sobre o rio Sindh quando a confusão começou.

Testemunhas denunciaram que a polícia se precipitou contra a multidão com cassetetes, algo que Arya desmentiu. “A polícia utilizou cassetetes durante o período de pânico, o que agravou a situação e fez com que várias pessoas pulassem da ponte”, explicou Manoj Sharma, morador de um povoado próximo, ao jornal Times of India.

O ministro do Interior do estado de Madhya Pradesh, Uma Shakar Gupta, indicou que a causa do tumulto ainda não era conhecida e negou erros nas medidas de segurança. “A segurança estava garantida, trata-se de um evento anual”, disse.

O deputado da região, Ashok Argal, culpa, por sua vez, a multidão que se precipitou sobre a ponte. “É falso dizer que a administração geriu mal o evento. Havia tomado as medidas para evitar qualquer incidente dramático. As pessoas às vezes se mostram pouco cooperativas e com muita pressa, o que originou este incidente”, acrescentou.

Pedras – Segundo o Times of India, a multidão lançou pedras na direção da polícia diante da lentidão das operações de resgate. A densidade de circulação dificultou o acesso aos feridos e o transporte aos hospitais. Cerca de vinte médicos conseguiram, no entanto, chegar ao local da tragédia e os hospitais se preparavam para acolher os muitos feridos, acrescenta o jornal em seu site.

O ministro em chefe do Estado, Shivraj Singh Chouan, anunciou uma indenização de 150 000 rúpias (cerca de 5 900 reais) para as famílias de pessoas mortas e de 50 000 (14 750 reais) rúpias para os feridos.

Os tumultos com mortos em celebrações religiosas são frequentes na Índia, onde em fevereiro 36 pessoas morreram pisoteadas na peregrinação de Kumbh Mela, às margens do rio Ganges. Em 2011, 102 hindus morreram em outro tumulto no estado de Kerala, e 224 peregrinos faleceram em setembro de 2008 em Johpur.

(Com agência France-Presse)