Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

México insiste que não deve evacuar área próxima ao vulcão Popocatépetl

Por Da Redação 21 abr 2012, 22h40

Puebla (México), 21 abr (EFE).- O governo do México insistiu neste sábado que, por enquanto, não ordenará a evacuação dos 28 mil habitantes que vivem perto do vulcão Popocatépetl, vizinho à capital do país, embora as emissões de cinza não tenham parado durante os últimos oito dias.

O alerta vulcânico se mantém em cor amarela e não está prevista a evacuação dos bairros próximos à cratera do Popocatépetl, indicou o secretário de Governo, Alejandro Poiré.

O funcionário explicou que, por enquanto, trabalha de forma coordenada com os estados que circundam o vulcão para atuar caso seja necessário, o que ocorreria apenas se o alerta mudar para a cor vermelha.

Poiré assegurou que o governo mexicano conta com todos os recursos econômicos, de logística e humanos para atender qualquer contingência vulcânica.

O Centro Nacional de Prevenção de Desastres (Cenapred) informou que nas últimas 24 horas o vulcão manteve a emissão de material incandescente que causou a queda de cinza nas povoações de San Pedro Benito Juárez, Santiago Xalitzintla, San Nicolás de los Ranchos, San Pedro Yancuictlalpan e San Mateo Ozolco.

Continua após a publicidade

Durante o decorrer deste sábado, a emissão de cinza também atingiu a capital homônima do estado de Puebla onde vivem mais de dois milhões de pessoas.

O Popocatépetl apresentou quatro exalações de vapor de água e cinza de média intensidade, mas posteriormente foram registrados diversos segmentos de tremor espasmódico de grande amplitude, que se prolongaram por quatro horas e meia, segundo a monitoração vulcânica oficial.

O governo de Puebla emitiu recomendações perante a queda de cinza, que não cessa há oito dias, quando se intensificou a atividade vulcânica.

As autoridades pedem que as pessoas cubram as caixas de água para evitar que se contaminem, limpem os resíduos dos tetos, pátios e ruas e guardem as cinzas em bolsas, já que podem ser usadas em cultivos por serem ricas em minerais.

Os empresários também emitiram uma série de recomendações a seus funcionários para não suspender atividades e evitar que a saúde dos empregados não seja afetada, assim como o funcionamento de suas máquinas.

O governo de Puebla também informou que não prevê cancelar nenhuma atividade relacionada com a festa comemorativa pelos 150 anos da Batalha de Puebla na qual está programado um desfile de 12 mil estudantes. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade