Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Líder da rebelião líbia diz que o final de Kadhafi está próximo

Por Gianluigi Guercia 20 ago 2011, 12h05

O final do homem forte da Líbia, Muamar Kadhafi, “está próximo”, garantiu, neste sábado, o presidente do Conselho Nacional de Transição (CNT), Mustafá Abdelkhalil, em nome da oposição, confirmando contatos com o grupo mais próximo ao coronel líbio.

“Mantivemos conversações com pessoas ligadas ao coronel Kadhafi (…) e tudo demonstra que o final está muito próximo, se Deus quiser”, declarou Abdelkhalil, em entrevista à imprensa.

“Se Kadhafi quiser abandonar o poder, queremos que ele mesmo anuncie isso. Mas achamos que ele não o fará. Conto com um final catastrófico para ele e para os seus. Também acho que ele vai deixar uma situação de caos em Trípoli”, afirmou o presidente do CNT.

Os rebeldes líbios também afirmaram neste sábado controlar toda a cidade de Brega, cenário de violentos combates há semanas na frente leste do país, depois de terem se apoderado das instalações petroleiras locais.

“A zona industrial (de Brega) se encontra sob nosso controle. Toda Brega está agora sob nosso controle”, afirma um comando militar da insurgência.

“As forças de Kadhafi estão se retirando para o oeste”, indicou.

Depois de meses de estancamento na frente leste, os insurgentes lançaram no final de julho uma ofensiva contra Brega, um posto avançado das forças leais a Muamar Kadhafi no leste do país.

Além disso, Abdesalem Khalud, ex-número dois do regime líbio de Muamar Kadhafi, viajou para a Itália, informaram neste sábado fontes governamentais líbias, horas depois que os insurgentes anunciaram que este dirigente afastado do poder nos anos 1990 se somou à rebelião.”Khalud viajou com sua família do aeroporto (da ilha tunisiana) de Yerba para a Itália”, afirmaram estas fontes governamentais líbias, enquanto que uma fonte governamental tunisiana confirmou a informação.O porta-voz dos rebeldes, o coronel Ahmed Omar Bani Bani, havia indicado à AFP na véspera que Khalud havia deixado Trípoli e se unira à rebelião.”Por razões de segurança, não podemos revelar onde está exatamente”, destacou o coronel Bani em Benghazi, “capital” da rebelião no leste do país.Companheiro de Kadhafi desde sua chegada ao poder, Khalud foi considerado durante muito tempo o segundo homem do regime, mas acabou afastado do poder em meados dos anos 90, por divergências com Kadhafi.Figura muito popular na Líbia, esteve sob vigilância do regime durante longo tempo.Premier líbio de 1972 a 1977, foi também vice-premier, ministro das Finanças e titular da Indústria.

Continua após a publicidade
Publicidade