Clique e assine a partir de 9,90/mês

Japão se preocupa com o desenvolvimento militar chinês

Novo premiê ressaltou também que deseja estreitar relações com o país vizinho

Por Da Redação - 14 set 2011, 08h57

O primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, afirmou nesta quarta-feira estar “preocupado” com o desenvolvimento militar da China e pediu ao país vizinho que “atue como um membro responsável da comunidade internacional”. Por outro lado, Noda ressaltou no Parlamento que o Japão deseja estreitar relações com a China por ocasião do 40º aniversário do restabelecimento de relações diplomáticas entre os países, em 2012.

“Estou preocupado com o crescimento do poder de sua defesa nacional, que carece de transparência, e com a aceleração de suas atividades marítimas”, disse Noda. “Espero que a China tenha um papel adequado como membro responsável da comunidade internacional”, completou, antes de manifestar o desejo de visitar o país vizinho quando for do melhor interesse para as duas partes.

O novo premier japonês, conhecido pelas opiniões hostis sobre a China, provocou irritação em Pequim no passado ao afirmar que importantes criminosos de guerra japoneses da Segunda Guerra Mundial deveriam deixar de ser considerados “criminosos”. Mas, ao assumir o poder, Noda pediu que nenhum membro de seu gabinete visite o memorial Yasukuni de Tóquio, que homenageia os mortos na guerra, uma atitude elogiada pelos outros países da região.

Em um relatório sobre defesa publicado mês passado, o Japão expressou preocupação com a expansão naval da China e com a falta de transparência de Pequim a respeito do rápido aumento do orçamento militar. A China considerou o relatório “irresponsável” e insistiu que a modernização de suas forças tem um caráter estritamente defensivo.

Continua após a publicidade

(Com agência France-Presse)

Publicidade