Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Israel aprova acordo com o Hamas de cessar-fogo e libertação de reféns

Segundo o governo israelense, o plano prevê a liberação de cinquenta pessoas, entre mulheres e crianças, em trégua de quatro dias

Por Da Redação
Atualizado em 21 nov 2023, 23h04 - Publicado em 21 nov 2023, 22h17

O governo de Israel aprovou na noite desta terça-feira (madrugada de quarta em Israel) um acordo com o Hamas para um cessar-fogo temporário para a libertação de reféns tomados pelo grupo palestino em 7 de outubro.

Segundo comunicado do governo de Israel, serão soltos cinquenta reféns, entre mulheres e crianças, ao longo de quatro dias. O gabinete do primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, afirma ainda que a trégua pode ser prorrogada em um dia a cada grupo de dez reféns liberados pelo Hamas.

A declaração também reafirma o que o premiê disse mais cedo, ao enfatizar que a pausa no conflito não indica o fim da guerra: “O governo de Israel, as Forças de Defesa de Israel e os serviços de segurança continuarão a guerra para trazer de volta todos os reféns, eliminar o Hamas e garantir que não haverá nova ameaça ao Estado de Israel de Gaza”.

O Hamas também divulgou uma nota confirmando o acordo e afirmou que ele prevê a libertação de 150 mulheres e crianças palestinas mantidas em prisões israelenses.

Segundo um oficial israelense ouvido pelo jornal Haaretz, o Hamas deve soltar trinta crianças, oito mães e mais doze mulheres. Todas as forças de segurança de Israel aprovaram o plano. O jornal Times of Israel afirma que o acordo prevê a liberação de doze a treze reféns por dia.

Continua após a publicidade

Mais cedo, o primeiro-ministro israelense prometeu que um cessar-fogo temporário para libertar reféns não significaria o fim da guerra. “Há conversas absurdas lá fora de que depois da libertação de nossos raptados iremos parar a guerra”, disse Netanyahu.

“Então quero deixar claro: Estamos em guerra, vamos continuar em guerra, vamos continuar em guerra até alcançar nossos objetivos. Vamos destruir o Hamas, vamos trazer de volta nossos raptados e desaparecidos e vamos garantir que em Gaza não haja ninguém que seja uma ameaça a Israel”.

A reunião começou por volta das 15h de Brasília. Antes da reunião, houve um encontro do gabinete de guerra e do gabinete de segurança para a aprovação preliminar da decisão.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.