Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA não pedirão desculpas por separação de crianças na fronteira

Secretária de Segurança Nacional diz que imigrantes ilegais devem enfrentar as consequências e garante que crianças estão bem cuidadas

A secretária de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Kirstjen Nielsen, disse nesta segunda-feira (18) que o governo não pedirá desculpas por ter afirmado que “as ações ilegais têm consequências”. A frase fora dita no contexto da polêmica separação de crianças de suas famílias quando detidas entrando ilegalmente no país.

“Não pediremos desculpas” pela separação de crianças na fronteira, afirmou Nielsen em discurso na Associação Nacional de Xerifes em Nova Orleans (Louisiana).

As autoridades americanas confirmaram a separação de cerca de 2.000 crianças de suas famílias na fronteira com o México em um período de seis semanas. A medida foi tomada com base na política de “tolerância zero” no combate à imigração ilegal, promovida pelo presidente americano Donald Trump.

Nielsen ressaltou que quem “comete ações ilegais sofre as consequências”, independentemente de estar acompanhada por menores de idade ou não. “Este governo tem uma mensagem simples: se alguém cruzar a fronteira de maneira ilegal, será processado”, acrescentou a funcionária.

Nos últimos dias, circularam informações sobre a situação dramática desses menores, mantidos em armazéns transformados em centros de detenção temporários. Em alguns casos, estão divididos em celas.

Como consequência dessas ações, cresceram as críticas da oposição democrata, mas também dentro do próprio Partido Republicano, ao qual pertence o presidente Trump. A própria primeira-dama, Melania Trump, criticou a política e defendeu um acordo bipartidário para reformular as leis migratórias no país.

Nielsen, no entanto, pediu para que as pessoas “não acreditem nas informações da imprensa” e afirmou que as crianças separadas de seus familiares “estão sendo muito bem cuidadas”.

Trump volta a culpar democratas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a tecer comentários negativos sobre os democratas nesta segunda-feira ao responsabilizá-los por “todos os problemas” relacionados à questão imigratória em solo americano. O republicano voltou a pedir a aprovação de uma reforma imigratória pelo Congresso e disse desejar que os imigrantes chegassem aos Estados Unidos com base no mérito.

“Nosso país não se tornará um campo para imigrantes ou um abrigo para refugiados”, disse Trump durante a abertura do Conselho Espacial Nacional.

Trump disse que deseja discutir com a oposição democrata uma reforma no sistema imigratório dos Estados Unidos, mas ressaltou que deseja fazer dos Estados Unidos um país seguro.  “E isso se faz com fronteiras fortes”, acrescentou, referindo-se à sua promessa de construção de um muro na fronteira com o México.

Na noite desta segunda-feira, Trump se reúne com os senadores republicanos Richard Shelby (Alabama) e Shelley Moore Capito (Virgínia Ocidental) para discutir o tema. Já na terça-feira (19), o presidente deve se reunir com congressistas americanos no Capitólio, onde a questão imigratória é um dos temas pautados.

“Temos de aprovar uma medida imigratória logo”, defendeu.

Mais cedo, ao utilizar seu perfil no Twitter, Trump já havia feito críticas aos democratas em torno da questão imigratória. “Crianças estão sendo usadas por alguns dos piores criminosos da Terra como um meio para entrar em nosso país. Alguém viu o crime ocorrendo ao sul da fronteira?”, questionou o presidente, dizendo que isso se deve ao fato de os democratas serem “fracos e ineficazes”  no combate ao crime e em segurança nas fronteiras.

“Digam a eles para começarem a pensar nas pessoas que são devastadas pelo crime que vem da imigração ilegal. Mudem as leis!”, pediu Trump.

(Com EFE e Estadão Conteúdo)