Clique e assine a partir de 9,90/mês

Egípcios vão às urnas decidir sobre sua constituição

Os partidários das reformas são favoráveis a transição rápida com pequenas mudanças constitucionais e os demais preferem uma nova Carta Magna

Por Da Redação - 19 mar 2011, 12h03

Os colégios eleitorais egípcios abriram neste sábado às 8h00 locais (03h00 de Brasília) para um referendo sobre emendas constitucionais, na primeira consulta popular desde a queda do ditador Hosni Mubarak, em 11 de fevereiro. Em torno de 45 milhões de eleitores devem se pronunciar nas urnas até as 19h00 locais (14h00 de Brasília).

No Cairo, eram formadas filas de espera de várias dezenas de pessoas nos centros de votação, enquanto a rádio divulgava mensagens chamando a população a participar da consulta porque “seu voto conta”. Os partidários das reformas são favoráveis a uma transição rápida com mudanças constitucionais restritas e os outros preferem uma nova Carta Magna, mesmo que leve tempo para obtê-la.

As emendas foram elaboradas por uma comissão de juristas designada pelo exército, a cargo da direção do país desde a derrubada de Mubarak pela revolta popular. As forças armadas se comprometeram a estabelecer um regime civil, eleito democraticamente. O movimento fundamentalista Irmandade Muçulmana apoiou a reforma.

El Baradei – Manifestantes islâmicos lançaram pedras contra o opositor egípcio Mohamed ElBaradei, quando este se dirigia a um colégio eleitoral no Cairo para votar. O Nobel da Paz foi atingido por ao menos uma pedra nas costas. Os manifestantes gritavam “não te queremos” e lançaram também água e sapatos em sua direção.

Continua após a publicidade

El Baradei é muito respeitado no mundo por seu trabalho diplomático à frente da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), mas durante o regime do ex-presidente Hosni Mubarak, foi muito criticado por suas diversas viagens ao exterior. Ele também é acusado de não estar a par da realidade dos egípcios.

(Com agência France-Presse)

Publicidade