Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Defesa pede a absolvição do ex-dirigente sérvio Karadzic

Por genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra durante a guerra da Bósnia, ele é julgado no Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia

Por Da Redação 11 jun 2012, 08h28

A defesa de Radovan Karadzic, o ex-dirigente sérvio da Bósnia julgado pelo Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia (TPII), pediu em Haia a absolvição do réu com a alegação de que em 1992 não houve genocídio na Bósnia.

Leia também:

Leia também: Bósnia lembra os 20 anos da guerra e do ataque a Sarajevo

“O doutor Karadzic pede a absolvição pelas acusações 1 a 11”, declarou Peter Robinson, conselheiro jurídico de Karadzic, em uma audiência pública do TPII. “Não houve genocídio nos municípios da Bósnia em 1992”, disse Robinson. “Portanto, o tribunal não pode concluir de nenhuma maneira que o doutor Karadzic é culpado de genocídio”, acrescentou o advogado.

Leia também:

Leia também: Relembre os 10 maiores genocídios da história mundial

Radovan Karadzic, 66 anos, é acusado de genocídio, crimes contra a humanidade e crimes de guerra durante a guerra da Bósnia (1992-1995). Também é acusado pelo massacre de Srebrenica, em julho de 1995, o mais importante na Europa desde a II Guerra Mundial. Radovan Karadzic foi detido em julho de 2008 em Belgrado, ao fim de 13 anos de clandestinidade.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade