Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Corpo de Aylan é enterrado na Síria

Aylan Kurdi, de 3 anos, morreu quando sua família tentava chegar à ilha grega de Kos na última quarta-feira

Abdullah Kurdi, o pai do menino sírio de 3 anos que morreu afogado tentando chegar com sua família à Grécia retornou nesta sexta-feira à Síria para enterrar a família – entre os doze mortos no naufrágio estão a esposa e os dois filhos de Abdullah Kurdi. O pequeno Aylan foi enterrado ao lado do irmão e da mãe, em um funeral muito emotivo na cidade síria de Kobane.

O pai do pequeno Aylan, de 3 anos, “ainda está em estado choque”, disse Mustefa Ebdi, um jornalista de Kobane. Durante a oração fúnebre da família, ele afirmou ser o único responsável pelo que aconteceu. “Não acuso ninguém”, relatou o jornalista.

Leia mais:

É o ‘grito de um corpo silencioso’, diz autora de foto do menino sírio

‘Peguei minha mulher e filhos nos braços e percebi que estavam mortos’, diz pai do menino afogado

“Como pai que perdeu os filhos, não tenho mais nada o que esperar deste mundo. A única coisa que gostaria é que o drama e os sofrimentos na Síria acabassem, que a paz retornasse”, disse Abdullah Kurdi, de acordo com a agência de notícias turca Dogan.

Depois do naufrágio que dizimou a família Kurdi, a polícia turca prendeu quatro suspeitos de tráfico de seres humanos, todos de nacionalidade síria.

Ajuda internacional – A comoção despertada pela visão do menino morto na praia turca parece ter vencido as resistências do primeiro-ministro britânico, David Cameron, criticado por sua falta de envolvimento na crise dos refugiados. Nesta sexta-feira, Cameron anunciou que a Grã-Bretanha está disposta a acolher mais refugiados sírios.

“Frente à dimensão da crise e do sofrimento das pessoas, posso anunciar hoje que faremos mais, acolhendo milhares de refugiados sírios adicionais”, declarou.

Leia também:

Refugiados sírios chegam à Noruega de bicicleta pelo Ártico

(Com AFP)