Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Biden recebe líder sul-coreano, de olho na ameaça nuclear de Kim Jong-un

EUA e Coreia do Sul pretendem estabelecer nova parceria para impedir o desenvolvimento de armas atômicas na Coreia do Norte

Por Da Redação
Atualizado em 26 abr 2023, 08h56 - Publicado em 26 abr 2023, 08h56

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, recebe nesta quarta-feira, 26, o líder sul-coreano, Yoon Suk Yeol, para aprofundar a colaboração destinada a impedir a escalada nuclear da Coreia do Norte. A visita de Estado ocorre em meio a crescentes tensões sobre o crescente arsenal de mísseis e bombas nucleares do regime de Kim Jong-un.

Além de toda pompa e circunstância com as quais a Casa Branca pretende cercar Yoon, a primeira visita oficial de um líder da Coreia do Sul aos Estados Unidos em mais de uma década envia um alerta ao líder norte-coreano.

Espera-se que os dois cheguem a um acordo ainda nesta quarta-feira sobre uma nova “Declaração de Washington”, que, de acordo com um briefing de autoridades americanas, dará à Coreia do Sul informações detalhadas e voz no planejamento de contingência americano para impedir e responder a qualquer incidente nuclear na região. Isso deve ocorrer por meio do Grupo Consultivo Nuclear EUA-Coreia do Sul.

Embora os aliados afirmem que a diplomacia com a Coreia do Norte é a melhor solução, Washington planeja implantar uma tecnologia militar imponente, incluindo um submarino com mísseis balísticos na Coreia do Sul. Será a primeira ação submarina desde a década de 1980, segundo briefing de autoridades americanas.

Continua após a publicidade

As autoridades enfatizaram que a Coréia do Sul continuaria sem controle sobre o arsenal nuclear dos Estados Unidos. Segundo um alto funcionário americano disse à agência de notícias Reuters, “isso segue o modelo do que fizemos com os aliados europeus durante o auge da Guerra Fria, em períodos semelhantes de potencial ameaça externa”.

Os Estados Unidos ressaltaram que estão informando a China com antecedência sobre as etapas, na tentativa de aliviar o relacionamento tenso na região.

A viagem de seis dias de Yoon ocorre em meio è celebração de 70 anos de aliança entre Washington e Seul. Na terça-feira, Yoon e sua esposa Kim Keon Hee se juntaram à vice-presidente Kamala Harris para uma visita a um centro da NASA para discutir a cooperação em questões espaciais. Mais tarde, ele visitou o Memorial da Guerra da Coreia com Biden.

Continua após a publicidade

Nesta quarta-feira, Yoon será homenageado com uma cerimônia elaborada e um jantar na Casa Branca, servido por um chef americano cuja mãe emigrou da Coreia. Esta é a segunda visita de Estado que Biden recebe desde que assumiu o cargo, há dois anos – o primeiro convidado foi o presidente da França, Emmanuel Macron.

Apesar de toda a extravagância, a visita de Yoon ocorre em um momento de grande tensão na Coreia do Sul, preocupada em se proteger contra ataques da Coreia do Norte. Uma pesquisa divulgada em 6 de abril pelo Instituto Asan de Estudos Políticos em Seul constatou que 64% dos sul-coreanos apoiam o desenvolvimento de armas nucleares, com 33% contra.

Washington também busca, por meio de Yoon, uma reaproximação com o Japão, o outro importante aliado dos Estados Unidos no nordeste da Ásia, e na onda de investimentos coreanos em tecnologia americana. Segundo dados oficiais, o montante agora se aproxima de US $ 100 milhões.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.