Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Áustria suspenderá progressivamente confinamento a partir de 14 de abril

Pequenos comércios serão os primeiros a reabrir, seguidos por estabelecimentos maiores, hotéis, restaurantes e outros serviços

Por Da Redação Atualizado em 6 abr 2020, 10h12 - Publicado em 6 abr 2020, 09h45

A Áustria planeja suspender de maneira progressiva a partir de 14 de abril as restrições em vigor para lutar contra o novo coronavírus, começando pela reabertura do pequenos comércios e, de acordo com um calendário, de diversas atividades, anunciou o governo nesta segunda-feira, 6.

“O objetivo é que a partir de 14 de abril comece a reabertura dos pequenos estabelecimentos comerciais de até 400 metros quadrados, tudo sob rígidas condições de segurança”, afirmou o primeiro-ministro Sebastian Kurz em uma entrevista coletiva, na qual pediu que população mantenha a “grande disciplina”.

“Nosso objetivo é uma retomada por etapas”, completou o chefe de Governo austríaco, afirmando que o cronograma deve se estender por vários meses.

Ele explicou que os estabelecimentos comerciais maiores devem reabrir as portas no dia 1º de maio. Em meados do próximo mês será a vez dos hotéis, restaurantes e outros estabelecimentos do setor de serviços.

  • Kurz recordou que as restrições contra a Covid-19 permanecem em vigor na Áustria e pediu aos compatriotas que não celebrem a Páscoa com pessoas fora de casa. As escolas permanecerão fechadas até meados de maio e os eventos públicos continuarão proibidos até o fim de junho, completou Kurz.

    ASSINE VEJA

    Até quando? As previsões dos cientistas para o fim do isolamento A imensa ansiedade para a volta à normalidade possível, os dramas das vítimas brasileiras e a postura equivocada de Bolsonaro diante da crise do coronavírus
    Clique e Assine

    Se a epidemia retornar ou piorar, o governo “sempre tem a possibilidade de ativar o freio de emergência” para reintroduzir as restrições, advertiu o premiê. A Áustria, com 8,8 milhões de habitantes, registra 12.058 infecções confirmadas, com 204 mortes.

    (Com AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade