Clique e assine com 88% de desconto

Satisfeito com últimos testes, Mano só teme lesões até as Olimpíadas

Por Da Redação - 10 jun 2012, 11h02

Mesmo com as derrotas para México e Argentina, a sequência de quatro amistosos anterior às Olimpíadas encheu Mano Menezes de confiança e definições. Até 6 de julho, quando anunciará os 18 atletas escolhidos para a competição que começará semanas depois em Londres, só o acaso de uma contusão pode atrapalhar o técnico da Seleção.

‘Tenho uma ideia muito clara do que faremos no dia 6. O que foi mostrado nestes quatro jogos me deixou convicto do que pretendo fazer. Posso dizer que gostei muito do que vi e tenho muita coisa definida na cabeça. Mas muitas coisas podem acontecer em 30 dias. Teremos que esperar’, disse, cauteloso.

A lista dificilmente será diferente dos que estiveram à disposição contra a Argentina, nesse sábado. Thiago Silva já está confirmado como um do trio permitido com idade acima de 23 anos e Hulk dificilmente ficará fora, assim como Marcelo. Como surpresa, existe a expectativa em relação à recuperação de Daniel Alves, vetado dos amistosos por lesão no ombro direito. Sem o lateral direito, Jefferson ou o também machucado David Luiz podem ser chamados.

As 15 vagas que serão ocupadas por garotos abaixo dos 23 anos devem ficar entre Rafael Cabral, Neto, Alex Sandro, Danilo, Rafael Silva, Bruno Uvini, Juan, Casemiro, Rômulo, Sandro, Paulo Henrique Ganso, Giuliano, Lucas, Oscar, Alexandre Pato, Leandro Damião, Neymar e Wellington Nem – destes 18, só Ganso não participou dos últimos quatro amistosos porque passou por artroscopia no joelho direito.Apesar do temor por contusões, cautela está longe do discurso de Mano ao analisar o desempenho nas vitórias sobre Dinamarca e Estados Unidos e até nos tropeços diante de adversário latino-americanos. Para alegria do treinador, os dinamarqueses, vencidos por 3 a 1 no início desta série de amistosos, bateram a vice-campeã mundial Holanda na Eurocopa.

Publicidade

‘Às vezes acham que, quando ganha, a Seleção não ganhou de ninguém. ‘Ganhamos da Dinamarca porque é muito fraca’, mas a Dinamarca ganhou da Holanda, não é tão fraca assim. E jogamos contra o México em sua casa, já que tinham mais de 80 mil mexicanos, e eles não propuseram o jogo. Imagine se vão propor na Copa do Mundo…’, completou, satisfeito com a atitude de seus comandado

‘A Seleção foi bem tem conseguido enfrentar comportamento e atitudes bastante fortes, igualando ou superando as ações do jogo. Gostei muito da personalidade, jogaram propondo bem seu bom jogo. É o caminho que queremos. Estamos contentes, por isso a decisão está bem encaminhada’, afirmou.

Mano Menezes ficou tão feliz com os últimos quatro jogos que os usa como defesa de seu trabalho. ‘Queremos ceder menos oportunidades do que cedemos ao melhor jogador do mundo (Messi, na vitória da Argentina). Mas todo trabalho que fazemos há quase dois anos tem fundamento, não estamos dando tiro no escuro para todos os atletas. A maior prova disso é a nossa capacidade de enfrentar qualquer adversário’, argumentou.

Publicidade