Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Roth evita euforia com reação do Grêmio no Brasileirão

Por Da Redação - 6 out 2011, 10h51

Por AE

Porto Alegre – Durante boa parte do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, o Grêmio brigou para fugir da zona do rebaixamento. Desde a chegada do técnico Celso Roth, no entanto, a equipe subiu de produção e, com a vitória sobre o Santos por 1 a 0, na noite de quarta-feira, em partida atrasada da 11ª rodada, chegou à nona colocação na classificação, com 39 pontos, e passou a sonhar com vaga na Libertadores.

Apesar da evolução, o treinador garantiu que o time gaúcho “ainda não conseguiu nada”. “Temos muita coisa a fazer e não conseguimos nada, a não ser uma regularidade e uma posição tranquila na tabela. Começamos a trabalhar e não conseguimos nada além do primeiro passo. Mas é bom dizer ao torcedor que ainda temos muito a fazer, temos que trabalhar”, afirmou o comandante gremista.

Roth não esconde que o objetivo neste momento é a conquista da vaga para a Libertadores. O Grêmio está a cinco pontos do Fluminense, que seria hoje a última equipe que se garantiria na competição continental, e, para chegar nesta zona de classificação, o técnico quer que seu grupo mantenha o que vem fazendo em campo nos últimos jogos.

Publicidade

“Não podemos perder o que está acontecendo aqui. Quando chegamos, o Grêmio estava desequilibrado, em termos de equipe, organização tática, esquema”, relembrou Roth. “Ainda faltam 11 rodadas e estamos em uma situação interessante em relação à anterior”, completou o treinador, já vislumbrando o jogo de sábado, contra o Coritiba na capital paranaense.

Publicidade